Pesquisar neste blogue

2011-04-23

2ºCap. Tudo ou nada

Segundo capitulo - Seu porco!

Parece impossível, ultimamente só tenho missões e mais missões, chego num dia parto no outro.

Depois de almoçar vou ter com o Zang e a Lin para entrarmos noutra missão.

-O sensei está a demorar, não achas Shelly? –Disse a Lin de braços cruzados encostada a uma árvore.

Eu abro a boca para falar, mas nem sequer tenho tempo de deitar para cá fora um som.

A Anko aparece mesmo á minha frente e eu arrepio-me toda.

Mas que fraca figura, ela anda com uma gabardina aberta que lhe tapa um bocado dos seios e usa uma camisola, se é isso que lhe posso chamar, em renda. Se ela não tivesse a gabardina, andava quase nua.

O Zang lá no seu cantinho não para de “olhar para a camisola dela”, eu começo a enervar-me e dou-lhe um estalo na cara.

-Seu porco! –Berro.

Ela esfrega a mão na cara.

-Só estava a olhar... –Disse dando-me um beijo nos lábios.

Já nem sei se estou no planeta Terra, ou no planeta Zang!

A Anko finge que tosse e começa a falar.

-Tenho uma missão para vocês...

Eu e a Lin ficamos de olhos arregalados e dizemos em coro:

-Você!!!

-O que foi? Até parece algo de outro mundo! –Disse olhando para o céu. –Continuando...Como já devem saber, o exame Chounnin já avançou para a segunda fase.

-Quer que nós nos entretenhamos-mos com os novatos? –Disse o Zang com cara de aborrecido.

-Mais ou menos, vocês já passaram por esse exame, e sabem que eu coloquei missões em ninjas como vocês na altura para lutar com vocês ou até mesmo matar-vos... Pois, desta vêz vocês já não são as vitimas, mas sim... –O Zang interrompe-a.

-Nós sabemos! Quando é que temos de ir para a floresta da morte?

Ela faz-se cara para responder-lhe depois de interrompê-la, mas a Lin responde.

-Não te lembras que entramos todos ao mesmo tempo?!? –Disse esfregando-lhe a nuca.

Ele foge da beira da Lin e coloca o braço dele nas minhas costas.

-É amanhã, ao meio dia. –Corrigiu a Anko.

-Está bem, já posso ir embora. –Perguntei.

-Vocês são o piorio! –Mal acaba dizer isto desaparece num abrir e fechar de olhos.

Eu encolho os braços e começo a dar os primeiros passos para a minha casa.

-Ei! Espera aí! Eu levo-te a casa! –Disse o Zang.

A Lin suspira e segue sozinha.

Eu não queria deixar-la sozinha, por isso fiz a técnica de multiplicação de corpos e mandei um múltiplo a acompanhá-la.

Ela fica feliz e um sorriso fica colado na sua cara. Eu era incapaz de fazê-la sentir-se mal por minha culpa.

O Zang beija-me e durante todo a caminho démos muitos beijinhos abraçados.

-Até amanhã! –Diz o Zang enquanto abria a porta da minha casa.

-Vou ter saudades! –Digo enquanto aceno e pisco-lhe um olho.

_ _ _

Depois de jantar, fui vestir o pijama e deiteime na cama com a televisão ligada.

O meu pensamento tormou-se fixo, só de achar que talvez tivesse que matar aqueles miúdos, eu não sou de sangue frio e é isso que me faz não ser grande ninja. Só de pensar que terei mais missões deste tipo arrepio-me toda!

Enrolo-me ainda mais nos cobertores e fecho os olhos.

Tenho uma longa noite pela frente...

_ _ _

De manhã, por volta das oito horas, vesti-me e fiz o pequeno almoço.

A minha irmã abre a porta da cozinha enquanto uma mão esfrega os olhos.

Ela boceja e diz:

-Bom dia, mana.

-Bom dia... Dormis-te bem? Estás com umas olheiras enormes!

Ela espevita-se logo e corre para a casa-de-banho.

-Não! Estou horrivél! –Gritou ao ver-se ao espelho.

Eu estremeci só de o grito dela, pois tem uma voz aguda e parece que dá cabo dos ouvidos.

-Como é que eu vou para o exame Chounnin assim!?! –Gritou novamente. –O Sasuke vai dizer que estou feiosa!

Eu fiquei congelada, ia a alevantar a colher para a boca e ela cai-me logo só de ouvir a palavra “exame chounnin”, empurro a cadeira para trás bruscamente e alevanto-me a tremer.

Maldita missão! Não quero matar... A minha irmã... A minha irmã... A minha irmã... A minha irmã!!!

-O que foi esse barulho, Shelly? –Perguntou lá da casa-de-banho. –Que esquesito.

Ela vem ter comigo e vê-me a tremer.

-Shelly, o que foi!? –Ela agarra-me e eu “desconge-lo”

-Ah? –Digo. –Não foi nada, tive um congelamento.

-Devias ir ao médico, desde ontem á tarde que andas estranha!

Acabo de comer á toa e desapareço porta fora.

Começo a correr e vou para a casa da Lin.

-Lin! –Digo enquanto corria a chorar.

-O que foi ‘miga?

Eu abraço-a. Ela passa a mão dela nas minhas costas e pergunta-me novamente o que eu tinha.

-Não quero ir ao exame Chounnin!

-Mas porquê?

-A Flora também vai estar lá e eu não quero matár-la!

Ela agarra-me nos ombros e dá-me um raspanete:

-Tu estás tola! Quem disse que a tinhas de matar? A Anko quis dizer que tinhamos de matar nas situações extremas, por exemplo, tu estavas a lutar com alguém e quase que morres, então para te defenderes máta-o. Quem vai matar são outros ninjas mais avançados que a nossa equipa!

Eu fico aliviada e limpo as lágrimas.

-Obrigada!

-Não tens de quê, és a minha melhor amiga e meu dever é ajudar-te! Agora vamos ter com o teu romeu! -Ela pousa o seu braço no meu ombro e pisca-me um olho.

1 comentário:

  1. Esta demais
    Adorei quando a Shelly deu uma bofetada ao Zang!!

    bjinhos :3

    ResponderEliminar

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...