Pesquisar neste blogue

2011-04-24

3ºcap. Tudo ou nada

Terceiro capitulo – a segunda fase do exame chounnin começa!

Depois da entrega dos manuscritos aos participantes do exame Chounnin, foi atribuído um número de portão a cada uma das equipas incluindo a minha que era a equipa 2.
Eu, a Lin e o Zang, fomos para o portão número doze e a Anko aproxima-se de nós.
-Olá meninos! –Saudou-nos.
-Olá! –Dissemos os três ao mesmo tempo.
-Eu ainda não acabei de explicar tudo... Com que então calhou-vos um manuscrito do ar!
-Sim. –Confirmou o Zang que o segurava.
-Vocês têm dois objectivos. O primeiro é: Vocês irão defrontar uma equipa que vos apareça á frente, então cada um de vocês irá eliminar apenas um dos membros da equipa adversária. O segundo é: Para combaterem com uma equipa, têm que verificar que ela tem um manuscrito da terra já que vocês têm o do ar, se por acaso eliminarem uma equipa que não tenha um manuscrito da terra, vocês irão sofrer as consequências!
-Certo! –dissemos em coro.
Eu já nem me lembrei das poucas vezes que saiu a palavra “matar” da boca dela. Estava no planeta Zang!
A Anko afasta-se de nós e através do microfone faz a contagem decrescente para a abertura dos portões.
-3... 2...1... Agora!
Ouve-se um estalido e os portões abrem-se.
Nós os três concentrámos o chakra nos pés e corremos para a floresta da morte a toda a velocidade como da primeira vez que aqui entrámos.
A fase do exame Chounnin que passei foi agradável, ainda não era namorada do Zang nessa altura! A Lin andava caidinha por o líder da ANBU, apenas o viu a retirar a máscara uma vez e durante dois anos lembrou-se muito bem dele, agora parece ter o esquecido, mas nunca chegou a saber o paradeiro dele, nunca descobriu o seu nome, a sua idade, família nem nada. Daí que ela emagreceu muito e agora é um palito autêntico. O que o amor faz!
O Zang salvou-me da morte nesta floresta, aí eu beijei-o e ele ficou todo corado!
Odeio que o tempo avance, lembro-me dos tempos de criança e faz-me chorar porque nunca mais posso voltar a ser o que fui, nunca mais vou ver os meus amigos que aqui morreram, quero viver para sempre, mas esta maldita linha do tempo não me deixa!
-Vamos parar e preparar uma armadilha para os novatos! –Disse o Zang.
-É melhor nos escondermos num arbusto e ficámos á espera de ação! –Disse a Lin.
Saltámos cada um para um arbusto e pouco depois alguém aparece por perto.
O Zang espreita e vê que era a equipa do baixinho que tinha andado á bulha, ele fica todo excitado e salta do arbusto dele.
-Tu! –Exclamou o Naruto.
Eu saio do meu cantinho e agarro no Zang.
-Larga-me! –Ordenou-me.
-Nem penses, ele é meu amigo e não vou deixar que lutes com ele!
Ele olha para o pergaminho na mão do Naruto e vê que é igual ao da nossa equipa e recua.
-Não vale a pena lutar com este falhado, ele tem um manuscrito igual ao nosso!
-A quem é que chamaste falhado?! –Gritou o Naruto.
A Lin vem ter connosco e faz-nos sinal para fugir.
Paramos numa árvore alta a cerca de cem metros deles, e olhamos ao nosso redor á procura de “vitimas”.
-Está ali alguém! –Diz a Lin apontando lá para baixo por entre as árvores escuras.
E estava mesmo, era uma equipa de dois rapazes gémeos de cabelos curtos pretos e uma rapariga de cabelos longos até á cinta e cinzentos. Todos vestiam umas roupas escuras, pareciam meios góticos.
-Vamos atacar! –Diz o Zang.
Saltamos abaixo da árvore, e eu aterro de joelhos.
-Já temos entretenimento! –Diz a rapariga estalando os dedos um a um.
Eles são assustadores definitivamente!
-Esta rapariga não tem aqui uma irmã aqui no exame? –Diz um dos gémeos apontando para mim.
-Acho que sim, já sabes o que tens a fazer! –Responde a rapariga.
O rapaz desaparece em milésimas de segundos.
Algo vai correr mal! Eles reconheceram que eu tenho aqui uma irmã! O que é que ele foi fazer?
O Zang ataca-a lançando-lhe um shouriken.
A rapariga recua e esconde-se atrás de uma árvore e o rapaz que desaparecera volta.
-Cuidado, tomem atenção a tudo, eles estão a meter-nos no jogo deles! –Diz o Zang.
Tudo estava a tornar-se confuso, até para mim que sou eu que costumo perceber logo tudo desde o inicio.
-Shelly, é melhor recuares e concentrares-te no jogo deles enquanto eu protejo-te, assim se o descobrir-mos pode arranjar-se maneira fácil de deitá-los ao chão! –Diz o Zang.
Eu recuei e concentrei-me.
Ora bem, eles fazem o trabalho muito bem organizado, ficam sempre no mínimo dois em campo enquanto outro prepara uma armadilha. Eles são arrepiantes mesmo!

1 comentário:

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...