Pesquisar neste blogue

2011-04-25

4ºCap. Tudo ou nada

Quarto capitulo – a minha luta de dor

Para perceber a estratégia tinha de olhar bem em meu redor e saber sempre onde cada membro se encontrava.
A Lin ainda não se tinha mexido nem um bocadinho, e o Zang estava a proteger-me.
Olho para a minha direita e vejo o Naruto a ser engolido por uma serpente gigante, mas não vejo o resto da sua equipa.
Ai! Outra vez! Eu sei que ele consegue safar-se! Não me posso distrair…
Um dos gémeos começa a fazer uma técnica que eu não conheço, e pelas caras do Zang e da Lin, também não a conhecem.
Parece uma técnica roubada, é parecida com uma técnica da Ino, deve ter alguma coisa a ver com a mente…
Ele começa a falar:
-Então, vão ficar ai especados?! –Ele alevanta o braço e aponta para o Zang. –Tu!
O Zang olha para ele e cai na armadilha, o gémeo estava a tentar adormecer-nos! E já adormeceu o Zang!
-Tu! –Diz apontando para a Lin.
-Não olhes para ele! –Gritei.
Por mais que a avise, ela caiu a olhar para ele.
Bolas! Agora só estou eu em pé! Não olhes para ele! Não olhes! Não olhes…
Colei os meus olhos no chão e fiz a técnica “Kai”, isso permitia-me olhar para ele e não adormecer.
-Tu! –Continuou apontando para mim.
Ele bem pode tentar, mas não vai conseguir! Estou protegida sobre o Kai.
-Não cais?! –Resmungou.
-Não irei cair! –Tentei dizer de maneira irónica, mas por dentro estou com medo.
-Ai não? –Disse rindo-se. –Arranjo-te outro remédio!
Eu tinha que o manter desconcentrado, mas como?
-Olá! –Diz a minha irmã saindo de trás da árvore que a outra rapariga se tinha escondido.
Eu olho para ela, e vejo que tinha a fita ninja na perna esquerda, e ela nunca a usou em nenhuma das pernas, só a usa na cabeça.
-Não és a minha irmã! –Gritei.
A rapariga ri-se e aponta para a minha verdadeira irmã que estava amarrada junto á árvore.
-Solta-a! –Gritei novamente.
A rapariga ri-se sarcasticamente e diz:
-Só se derrotares sozinha a minha equipa!
-Assim o farei!
-Então lutas comigo, se ganhares escolhes um dos meus irmãos para lutares a seguir.
Onde é que eu me meti? Se perder, eles matam-me aos meus colegas, e á minha irmã. E onde é que está a equipa da minha irmã? Será que ela lhes fez mal?
Ela começa a correr na minha direção e espeta-me um soco na cara.
Eu caio para trás e mal consigo abrir o olho esquerdo.
-És tão fraquinha! –Disse rindo-se ás gargalhadas.
Estou sozinha… Como nunca estive. O Zang sempre me defendeu, mas isso fez-me mal, fiquei fraca! E agora que sou eu a defender os meus amigos, não consigo! Tenho que lutar como dantes, as minhas habilidades ainda aqui estão, de isso tenho a certeza!
Ela continua a bater-me seguidamente enquanto eu fraquejava com o meu pensamento.
Parecia que estava a andar á roda, já nem a ouvia a falar, vi-a tudo muito clarinho e já não me doía nada, só ouvia o meu pensamento…
Espera aí! Estou a morrer!
Eu agarro-a pelo pescoço e aperto-o muito até ela sufocar e cair para o lado.
Tudo parou de andar á roda, os meus ouvidos já conseguiam ouvir, e os meus olhos não acreditavam naquilo que viam: uma rapariga no chão, morta por mim…
Olho para as minhas mãos, e vejo que estão manchadas de sangue da rapariga. Não posso crer! Aonde eu fui buscar tanta frieza! Eu não estou bem definitivamente.
-Di! –Gritaram os gémeos a correr em direção dela.
-Não se mexam ou acontece-vos o mesmo! –Disse alevantando-me. –Quem é o próximo a lutar comigo?
-Eu! Em nome da minha irmã! –Diz o gémeo da esquerda.
-Du, eu sei que consegues! A nossa irmã nunca tinha sido derrotada… Mas vence em nome dela!
Espera aí! Os nomes deles são “Di”, “Du”, e o outro deve ser qualquer coisa parecida com estes dois! Nunca vi nomes assim…
Ele tenta adormecer-me, mas faço novamente o Kai e mantenho-me em pé.
-Outra vez! Já vi que não cais em hipnoses, vamos lutar a sério então!
Neste momento nada mais me importa senão lutar e ganhar, nem que tivesse que matar! Por isso vou dar o meu melhor!
Talvez seja melhor experimentar a força bruta neste rapaz, para ver o que ele consegue.
Alevanto a minha perna esquerda, concentro o meu chakra nela e bato com ela no chão.
Uma enorme fenda abre-se na terra e o rapaz cai lá baixo. O Zang e a Lin também, só que eu apanho-os e salto para cima de uma árvore.
Agora, se deixar em chamas o interior da fenda… É claro que resulta!
-Katon no Jutso! –Gritei enquanto soprava fogo para a fenda.
A minha irmã ficou com cara de zangada por ter usado uma técnica do clã Uchiha, mas se o sensei me ensinou a fazer-la, é para usar!
O rapaz salta da fenda para cima de uma árvore. Ele estava tinha a pele toda queimada, estava horrível! Metia impressão.
Faço novamente o Katon no Jutso e lanço fogo para ele e para o seu irmão. Ele cai abaixo da árvore e entra novamente na fenda já morto. O irmão fica com aspecto igual ao dele e cai ao chão. Eu salto da árvore e certifico-me que está morto.
Ouço a minha irmã a gritar, olho para ela e vejo que tinha incendiado a árvore onde estava amarrada e o fogo já estava perto dela.
Salto para o outro lado da fenda e desamarro-a mesmo a tempo. Agarro nela e salto para a árvore onde estava a Lin e o Zang.
-Mana, podes acordá-los? –Pedi.
-É para já!
Ela acorda-os com uma técnica que ela era perita: Gritar aos ouvidos!
-O que aconteceu? –Disse a Lin acordando.
O Zang alevanta-se e olha para toda a destruição.
-Quem fez isto? –Perguntou-me.
-Fui eu! –Disse coçando a cabeça.
-Bá! Não foste nada! –Disse o Zang e a Lin ao mesmo tempo.
-Por acaso foi, para nos defender. –Disse a minha irmã.
Eles pareciam continuar sem acreditar, eu no lugar deles também não acreditava. A mais fraquinha da equipa superar o Zang? Só visto!

Comentem!

1 comentário:

  1. Esta demais ainda bem que a Shelly deixou de ser fraca

    ADOREI!!!!

    bjinhos :3

    ResponderEliminar

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...