Pesquisar neste blogue

2011-09-09

23º Capitulo até ao fim

Vigésimo terceiro capitulo – Dois dias de folga, partida!

Ina

Estava sentada no sofá a dormir com o Naruto, ele estava com a cabeça deitada nas minhas pernas e eu tinha a minha virada para o teto, ontem á noite estivemos a ver um filme e adormecemos assim.
Ele começou a mexer-se e acordei. Olhei para ele e estava a virar-se para mim ainda com os olhos fechados, abriu-os lentamente e sorri para ele.
-Dormiste bem?–Dei-lhe um beijo na testa.
Ele agarrou na minha cara e deu-me um na boca.
Alevantou-se e disse ao espreguiçar-se:
-Estou esfomeado!
Estava com a energia recarregada até ao último ponto! Notava-se na cara dele, é ele que me faz acordar bem disposta.
Espreguicei-me ainda sentada no sofá e depois alevantei-me, ia-me dirigindo para a cozinha e ele por trás de mim pousa a cabeça dele no meu ombro a olhar para mim e põe uma mão no outro ombro.
-Hoje quero tomar o pequeno almoço fora contigo… -Ele estava a sorrir.
Olhei de canto de olho para ele e disse:
-Anda lá então.
Descolou-se de mim, dormimos com a roupa vestida, por isso apenas penteámo-nos e saímos.
Estávamos a chegar ao mesmo sitio do costume.
-Hoje não tens missões? –Perguntei.
-Não, estou de folga estes dois dias.
-Eu também… Sabes do que me lembrei? Podíamos passar estes dois dias fora de Konoha… O que achas?
Entrámos no café, ele respondeu-me enquanto nos sentávamos:
-Gostei da ideia, mas onde queres ir?
-Até a cidade.
A empregada chegou e perguntou-nos o que queríamos.
-Eu quero uma tosta mista e uma meia de leite. –Respondi.
-Pode ser o mesmo para mim.
Ela foi e continuámos a conversa.
-Então devíamos sair já hoje de manhã, não achas? –Disse ele.
-Sim, mas não é preciso levar muita coisa, por isso fazer as malas é rápido.
A empregada chegou com o que pedimos.
Comi enquanto conversava com ele, primeiro a tosta depois o leite, não gosto de misturar as coisas.
Paguei a conta e saímos do café.
Apetecia-me correr um pouco, de certeza que ele alinharia logo numa corridinha…
-Quem for o último a chegar a casa é um ovo podre!
Comecei a correr, mas pouco depois ele já me tinha ultrapassado, corri mais rápido e consegui acompanhá-lo. Ele chegou primeiro. Quando cheguei não consegui travar e espetei-me contra a parede.
-Estás bem? –Perguntou.
-Estou, já me habituei ás pancadas!
Ri-me, entrámos em casa e cada um foi fazer as suas malas.
Ele levava apenas uma mochila, e eu levava três.
-Precisas assim de tanta coisa?
-Talvez não precise desta. –Deitei uma mala ao chão. –É, assim está melhor. Mas mesmo assim tu só tens uma mala, e eu tenho duas atestadas ao máximo… Está bem… Vou deixar também esta. –Deitei outra ao chão.
-Estás a falar sozinha?
-Não, vamos lá!
Saímos de Konoha, e entrámos num comboio de carga já que era a única coisa que saía naquele momento para a cidade.
-Acho que vou morrer! –tapei o nariz. –Não aguento mais!
Estava um fedor horrível dos animais que lá iam.
Ele estava sentado num monte de palha com o nariz tapado com uma mola.
-Vamos para outra carruagem. –Disse alevantando-se.
Abri a porta e trepei até ao cimo do comboio com a mala ás costas, ajudei-o a subir. Olhei em frente…
-Um túnel! –Gritei.
Baixámo-nos a tempo, após passarmos o túnel alevantei-me a tremer de susto. Pensei que ia morrer.
Ele viu-me naquele estado e deu-me a mão.
-Agarra-te a mim, vamos para a beira do condutor.
Estávamos na última carruagem, quando chegámos á ponta dessa mesma tínhamos que saltar.
-Consegues? –Perguntou-me.
Parei de tremer, lembrei-me que era Jounnin, por alguma razão cheguei a esse nivél.
Agarrei a mão dele com força e ele contou até três, saltámos direitinho, correu bem.
-Agora só temos de fazer isto mais quatro vezes! –Disse olhando para mim.
Corremos até a ponta e saltámos, fizemos isso até chegar mesmo á frente do comboio.
-Ufa! Finalmente! –Suspirei.
Ele agachou-se e agarrou-se a um ferro, saltou. Fiquei assustada, parecia que ele tinha caído abaixo do comboio, espreitei e ele estava pendurado e saltou para dentro da cabine.
-Anda!
Tentei fazer o mesmo que ele, pendurei-me e fechei os olhos. Senti ele a agarrar-me e a dizer:
-Já está tudo bem!
Aquelas palavras acalmaram-me muito.
-Mas que aventura!
Olhei para trás dele e estava o condutor a olhar para nós surpreendido e a dizer:
-Alguém vos deu autorização para vir aqui?
-Não, mas por favor deixe-nos seguir aqui, lá atrás está um cheiro muito tóxico! –Disse o Naruto para ele.
-Está bem.
Seguimos a viagem sentados e encostados numa beirinha. Acabei por adormecer encostada a ele.

Espero que gostem! Comentem á vontade!

1 comentário:

  1. esta muito bom. estou ansiosa pelo proximo capitulo..

    Catarina

    ResponderEliminar

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...