Pesquisar neste blogue

2011-10-31

2º Capitulo Dias da Hikari - Um restaurante abandalhado pelos cães







<Imagem do capitulo anterior>





 Foi nesse dia (no que juntaram-se a uma equipa da academia), que eu conheci as outras equipas.
A Sakura e o Naruto eram mais ligados á equipa 8, á 9 e á 10, as outras nem tanto.
Depois daquele grande momento de choque no lago, apanhámos os peixes que boiavam na água, entregámos a quem encomendou a missão, mas não recebemos dinheiro nenhum, não se podia comer os peixes, estavam todos estragados.
-Belo serviço… -Disse a Moegi.
-Tanto faz, de qualquer maneira nós ainda não tínhamos apanhado nenhum. –Respondi.
-O que é para fazer a seguir? –Perguntou a Sakura.
Abri o pergaminho e li:
-Passear os cachorros... –Esforcei os olhos para conseguir ler. –Da loja dos animais.
-Há coisa pior? –Suspirou o Naruto.
-Vá lá! Hoje é para nos divertir! –Disse a Moegi. –Adoro cachorros!
Fomos até a loja dos animais e apresentámo-nos, o empregado entrou numa porta, e quando saiu… Aquilo são cachorros???
Cada um maior que o outro! Cachorros??? Pastores alemães! Bulldogs! Lavradores! Tudo de raças que mordem!
-São estes? –Perguntei.
-Sim, são.
Com um jeitinho que eu caia para trás de costas!
Eram doze cães para seis ninjas. Isto não vai dar bem…
Entregou dois cães para cada um, eu, o Konohamaru e o Naruto ficámos cada um com dois pastores alemães, a Sakura, o Udon e a Moegi cada um com dois lavradores.
Já estava a sair da loja, entretanto o empregado avisou:
-Estejam aqui ás três da tarde!
Tanto tempo! Ainda são onze e meia da manhã!
Suspirei e saí da loja. Os cães pareciam calmos, e até então estavam a portar-se bem.
Eu só pensava “Oxalá não apareça um gato!”.
Os cães iam á minha frente, quando comecei a cheirar uns belos bifes grelhados vindos do restaurante, eles começaram logo a levar-me de rastos.
Caí ao chão, mas nunca larguei as trelas, foi de rastos atrás dele.
Pelos vistos os cães dos outros também tiveram a mesma ideia, mas a Moegi e o Udon largaram os cães mas foram a correr atrás deles.
O Naruto colocou cada pé no dorso dos cães e foi assim em cima deles tentando pará-los até ao restaurante.
A Sakura corria o mais que podia sem largar a trela, fiquei para trás, eu era pesada para os cães me arrastarem, mas nunca paravam de correr.
Só pararam com as patas coladas á porta de entrada, não dava para eles entrar.
Ufa!
Suspirei e olhei para o vidro da porta… Oh Não! Não faças isso menina!
Estava lá dentro uma menina toda encantada com os cães (já lá estava m á beira da porta os doze cães)
-Não! –Gritámos todos enquanto ela agarrava a maçaneta.
Ela não ouviu lá do lado de dentro, abriu a porta. Eu já tinha largado as trelas, os cães todos entraram para lá dentro passando por cima de mim desalmada mente.
A seguir foram os outros da minha equipa e do Konohamaru que também não me viram e passaram-me a ferro.
Levantei-me enquanto sacudia as roupas.
Quando entrei a confusão estava instalada. Os cães agarraram-se a comer nos pratos das pessoas, muita gente estava a gritar, outros corriam para a porta desalmadamente (mas desta vez desviei-me!). OS da minha equipa já estavam todos sujos de comida, o Konohamaru já andava de rastos atrás dos cães.
Ainda houve lá clientes que decidiram começar uma luta de comida.
Fiquei paralisada a olhar tamanha confusão até que levei com um prato de puré na cara.
-Quem fez isto! –Gritei.
Peguei num prato de uma senhora que estava em pânico ao meu lado (prato de esparguete) atirei-o para o ar e foi parar certinho na cara do Naruto.
Ele caiu ao chão ficando sentado com o prato a fazer de chapéu com esparguete a escorrer pela cara abaixo.
Corri atrás dos meus cães, um rapaz que lá estava da minha idade levantou-se de onde estava e pegou na trela dos mesmos cães que eu andava atrás.
-Obrigada. –Agradeci.
-De nada.
Ele entregou-me as trelas para a mão e já de tantos nervos que estava consegui pegar por debaixo dos braços cada cão.
Eram pesados pior que sei lá bem o quê! Tive que concentrar o chackra nos braços para conseguir.
O dono do restaurante agarrou no microfone e começou a gritar:
-Párem! Stop!
Ficaram todos parados conforme estavam, enquanto os cães continuavam a comer deliciados.
De repente o alarme de incêndio (uma panela de arroz já estava mais que queimada). Foi no preciso momento em que eu fiz novamente a técnica de eletricidade para parar os cães.
Ora, estava tudo molhado novamente, “bzzzzz”!
Ainda bem que o alarme rebentou logo. O choque parou.
-Outra vez! –Gritou a minha equipa e a do Konohamaru.
-Desculpem… -Respondi com um sorriso forçado coçando a cabeça.
-Quem é o responsável por isto? –Perguntou todo indignado o dono do restaurante.
As pessoas que não tinham nada a ver com aquilo começaram a sair, enquanto eu e os meus “cúmplices” ficámos parados a olhar para ele.
-Foram vocês?!
-Fomos… -Disse a Moegi e a Sakura.
-Os cães fugiram-nos, foi o cão dela que começou! –Disse o Konohamaru apontando para mim.
-De quem?!! –Respondi furiosa.
Agarrei-o pela gola e levantei-o um pouco.
-Não! Não! Desculpa! Não foi o teu! –Gritou todo aflito.
Pousei-o e com um ar mais satisfeito retornei para onde estava.
-Espero bem que tenham dinheiro e mãos para reparar o que estragaram… -Disse olhando para nós como quem diz “toca a limpar e a pagar”.
Ele falou com os empregados e eles começaram a deixar as batas em cima do balcão e despedindo-se uns dos outros começaram a sair todos satisfeitos.
-Vão ter que limpar esta confusão! E ainda pagar os prejuízos!
-Quanto é que é…? -Perguntou a Sakura.
-Tenho de fazer as contas, mas não vos vai sair barato!
Engoli a seco, ele entregou-nos as batas, mandou as raparigas atar o cabelo, entregou-nos vassouras, panos, esfregonas, os líquidos, e ainda atou as trelas dos cães lá fora no estacionamento das bicicletas.
-Isto não podia ser pior… -Suspirei exausta de tanto limpar.
Limpávamos… Limpávamos… Tanto limpávamos e parecia que continuava tudo igual, as janelas ainda estavam todas cobertas de comida, o chão também, ainda só tínhamos limpado as mesas e as cadeiras.
Eu ainda aproveitava quando via um prato limpinho e agarrava-me a comer, tinha camarão e comida que eu pensava que só ia comer uma vez na vida.
Pelos visto não fui a única, os outros também estavam de papo cheio.
Olhei as horas e lembrei-me dos cães.
-Já são três horas! Os cães!
A Sakura pôs as mãos na cabeça dizendo:
-Esqueci-me por completo!
Levantei-me do chão e fui até o dono do restaurante que estava no escritório.
Pedi para deixar-nos sair para levar os cães, mas ele não estava a querer deixar, pensava que nós íamos fugir.
Apenas deixou dois de nós sair, foi o Naruto e a Sakura, os mais fortes. Eles tiveram de deixar lá as fita ninja como certeza que voltavam.
Lá fiquei eu a limpar, tanto queria ir para ver se escapava…!
Uma hora depois eles voltaram todos esgadanhados.
-O que vos aconteceu? –Perguntei levantando-me.
-Apareceu um gato… -Disse o Naruto.
-Ah! Eu bem pedi para não me aparecer um gato enquanto estava com os cães! Olhem o vosso estado!
-Eu pensei que foi a Sakura que te bateu. –Disse o Konohamaru rindo-se.
Eu também cheguei a pensar o mesmo que ele, mas seria muito espantoso a Sakura também estar rabunhada, e aliás ele não ficava rabunhado ela não ataca com as unhas, mas sim com os punhos.
Peguei numa esfregona, só faltava passar o chão a pano.
Eles ajudaram depois de cada um pegar na sua fita ninja.
Ás cinco da tarde já estava tudo pronto, o restaurante estava a brilhar!
-Bom. Isto está fabuloso. –Comentou o dono. –Hum… Eu vou deixar-vos sair sem vos cobrar nada… Vejam se para a próxima têm mais cuidado!
Dei um suspiro de alivio, não me via com muito dinheiro para pagar estragos!
Retirámos as fardas de limpeza e depois de guardar tudo no sítio fomos embora.
-Que dia! –Comentou o Naruto já com a cara feliz por sair dali para fora.
-Ufa! Ainda bem que não tivemos que pagar nada!
-Vocês são um máximo! –Disse o Udon. –A Hikari é a mais tola! Faz sempre quando não deve aquele jutso de eletricidade!
Não tive coragem de responder, aquela ranhoca ao penduro…!
O Naruto e a Sakura ficaram a olhar para mim de surpreendidos por eu não lhe ter batido mas sim estar com uma cara de enjoada.
-É! A mim bates e a ele não!! –Resmungou o Konohamaru. –Gostas dele ou quê???
Fiquei furiosa e pior que um gato assanhado espetei-lhe um soco e gritei:
-O quê??? Seu palerma! Tás a arrebitar a crista demais para o meu gosto! Eu não gosto dele!
De repente reparei que o mesmo rapaz que me ajudou a apanhar os cães estava a passar por nós e disse:
-Boa tarde.
-Boa tarde. –Dissemos.
-Eu já vi aquele rapaz no restaurante. –Comentei.
-E o que tem de impressionante? –Disse o Konohamaru.
-Cala-te! –Respondi.

5 comentários:

  1. Gostei muito...estou a ver que a Hikari tem um feitio igual ou pior do que o da Sakura... Está muita boa a fanfiction. fico ansiosa pelo próximo capitulo.

    ResponderEliminar
  2. Lol^^
    Ás vezes apetecia-me deixar logo todos os capitulos de uma vez mas n posso XD

    ResponderEliminar
  3. Adorei! Também estou ansiosa!

    ResponderEliminar
  4. Muito bom o capitulo. Amei. Aguardando os próximos ^^

    ResponderEliminar

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...