Pesquisar neste blogue

2011-10-18

3º Capitulo Fanc. Sora


Terceiro capitulo – Invocações

Não havia mais nada para fazer ali, só no dia a seguir é que se recebe o dinheiro de cada missão.
Comecei o longo caminho para o meu apartamento, (por acaso o caminho é bem curto, só que naquela altura um metro parecia um quilómetro).
-Até amanhã, Sora! –Disse a Sakura toda enérgica.
Eu já estava quase a desaparecer da vista dela sem despedir-me de ninguém, mas ela disse aquilo na mesma.
Virei-me para trás e vi a cara feliz dela (a minha parecia uma batata podre), até me deu pena e acenei levemente.
Fiquei pensativa a olhá-la enquanto desaparecia por um caminho invertido do meu. Está bem! Eu ia para a esquerda e ela para a direita… !!!
Depois segui caminho. Cheguei a casa e já não sentia as pernas.
            Olha que bom! Assim não sinto a dor! Bâh!
A primeira coisa que me veio á cabeça foi tomar um duche. Peguei numa toalha e enfiei-me na casa de banho.
A água era tão relaxante… Sabia mesmo bem… E depois quando vinha aquela brisa… Então é que era…
-BRISA? O quê?!! –Os meus olhos abriram-se á velocidade da luz.
Que cabeça! Tinha deixado a janela aberta!
O que vale é que ela é alta e os vizinhos só conseguiam ver a minha cabeça, mas nada!
Espreitei pela janela e só naquele momento é que reparei que dali tinha-se vista para o escritório da hokage.
Olhei para a entrada e vi o Sai.
-Sai-san! –Gritei.
Ele não me ouviu.
Vesti-me e fui a correr de tal maneira que nem um avião da força aérea me ultrapassava.
-Sai-san! –Voltei a gritar. –Onde vais com os guardas?
-Para a prisão. –Respondeu um deles.
-Porquê?
-Temos que o manter debaixo de olho. Não pode escapar.
-Eu vigio!
Aquela ideia veio-me espontaneamente, nem sabia se eu iria poder dormir mas isso naquele momento não interessava.
Dei comigo a puxar-lhe a mão e os guardas a não deixar-me levá-lo.
-Com quem queres ficar?! –Perguntei já irritada com os guardas.
-Não me importo de ficar na prisão nem de ficar em tua casa, mas de onde vem essa confiança toda?
Bolas! A minha cara ficou vermelha como um tomate! Tive mesmo que me virar para o lado, e fi-lo pensar que estava embufada.
-Diz lá onde queres ficar! Não mudes de assunto… -Respondi.
-Na prisão.
Não acredito que ele preferiu ir para tal lugar… É quase impossível… trocou a minha casa por aquilo…
Fiquei sem expressão na cara, se fosse um vidro, estaria já em mil estilhaços pelo chão.
Voltei cabisbaixa para casa, eu era a minha própria sombra…
Nem me lembrei de lavar os dentes ou comer algo, atirei-me para cima da cama e lá fiquei a noite toda.

De manhã acordei com o alarme para não me esquecer da missão.
Como já estava vestida, depois de passar uma noite por cima da cama feita sem vestir o pijama, saí e fui pelas escadas.
Dei uma espreguiçadela com os braços para o ar, fechei os olhos enquanto abria a boca e botava o pé para o próximo degrau.
Quando abri os olhos… Acho que nunca tinha visto um degrau tão próximo de mim! Fui a rebolar pelas escadas abaixo e bati fortemente na porta de entrada que até a derrubei.
Quem estava na rua deu tamanho estremeção com a minha pancada que começaram todos a gritar.
Correram para a minha volta, mas eu estava a sentir-me bem e levantei-me sozinha.
Olhei para a porta, estava toda amassada, mas já não tinha tempo para nada senão ia chegar atrasada.
-Senhor porteiro! Dá para tomar conta disto? É que tenho pressa para tratar de assuntos urgentes…
Custou-lhe a aceitar, não tinha nada de saber que eu ia para missão, lá ficou á espera de alguém para compor aquilo. É claro que depois vou ter de pagar.
-Vamos lá? –Perguntei chegando á beira da minha equipa que já me esperava nos portões.
-Bom dia para ti também! –Disse o Naruto.
-Bom dia… -Respondi, é que tenho tanto hábito de dizer isto… Que nem me lembro de o dizer.
-Agora vamos. –Disse o sensei. –Subam para essa carrinha atrás de vocês.
Devia ser de um comerciante qualquer que veio entregar aqui produtos (a carrinha estava vazia), e deu-nos boleia.
Fomos todos atrás, na parte da carga.
Não dava para ver onde estávamos, por isso tivemos que nos entreter a falar uns com os outros.
Quando a carrinha parou eu dei um salto para a frente por o condutor ter travado um pouco bruscamente.
Esqueci-me que eu era maior que a carrinha, Prús!!! Bati com a cabeça.
-Primeiro a porta… agora isto… -Reclamei.
-O que tem a porta? –Perguntou a Sakura.
-Nem vais acreditar… mas caí das escadas abaixo e bati contra a porta e ela caiu.
-Ah! Isso explica o teu braço negro! –Exclamou o Naruto.
O quê? Não tinha reparado no braço. Olhei para os dois, o esquerdo estava um pouco negro e doía-me ao tocar.
Fomos atrás do sensei e parámos num sitio com erva muito baixa e não se via uma única casa por perto, só se via floresta ao fundo.
-O que vamos fazer, sensei? –Perguntou a Sakura.
-Preciso de ver como estão as vossas invocações. Naruto, faz tu primeiro. –Disse o Sensei.
Ele pôs o dedo a sangrar e bateu com a palma da mão no chão, começaram a ver-se muitas letras a correrem a terra até a mão dele.
Fez-se uma enorme nuvem de fumo que até me deu tosse, só de olhar para o chão vi que estava a pisar a sombra de alguma coisa muito enorme. Virei a cabeça para cima e estava o Naruto em cima do Gamabunta (Chefe dos sapos).
A Sakura começou a bater palmas e disse toda empolgada:
-Boa, Naruto!
O sensei gostou de ver o que ele fez, olhou para mim e para a Sakura.
            Só espero que não me escolha a mim!
-Sakura, é a tua vez.
Ela fez exatamente o mesmo, sangue no dedo, palma no chão, letras a correr, nuvem de fumo, eu a tossir…
-Olha que fixe. –Comentei apaticamente. –Uma larva.
-Até quero ver o que vais fazer! Até me vou rir! –Defendeu o Naruto.
O sensei olhou para mim…
-Eu sei… é a minha vez…!
Não gosto nada de o invocar… porque é um leopardo das neves bebé e simpatizou muito com a Sakura na última vez que o invoquei por ela o mimar… bebé! Já viram? Para que serve? Saltar para o meu colo e ajudar-me a gritar quando estiver aflita?
E invés de abrir a boca para rugir abre a boca cheio de sono!
Lá fiz o mesmo que eles… cortei o dedo! Fiquei a sangrar! Bati com a palma da mão no chão! Fez-se a nuvem de fumo! E Kabuum! Já o conseguia sentir ao meu lado…!
-Olha! Ele cresceu! –Exclamou a Sakura. –Que nome lhe vais dar?
Parecia impossível ela o conseguir ver primeiro que eu, mas quando olhei vi um grande leopardo com um forte corpanzil, branco com bolinhas pretas e com olhos azuis que até pareciam dois diamantes…
-O nome que ele quiser…
-Está bom. –Disse o sensei. –O que eu quero que façam é o seguinte… O Sai fugiu, um de vocês vai ter de o capturar de volta…
Nem deixei que ele falasse mais!
-Eu! Eu trago-o de volta! –Fiquei aos pulinhos.
Ele fez-me sinal para me por a andar, nem ouvi o que ele estava a falar para eles,  montei no leopardo e ele começou a correr.

1 comentário:

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...