Pesquisar neste blogue

2011-11-06

6º Capitulo Dias da Hikari - Missão bem sucedida!

A Shizune riu-se quando lhe contei que queria sair de Konoha por uns tempos. E ainda disse:
-Estás naquela de fazer tudo o que os outros fazem? –Riu-se.
-Hein?
-O Naruto, o Sasuke e a Sakura também saíram, achas que precisas?
-Eles ao menos ficaram fortes! Eu sou mais fraca que o Naruto!
-Come que amanhã vais ter um dia preenchido então…
Fiquei pensando no que ela disse, na verdade passei a noite toda a pensar nisso e ainda sonhei várias hipóteses do que poderia ser.
De manhã cedo acordei (como sempre) com a Shizune a abrir-me a janela.
-Bom dia. –Disse ela.
-Olá. Já me vais dizer aquilo?
-Aquilo o quê?
-A minha agenda vai estar preenchida porquê?
-Quando vieres da missão logo vês.
Ela saiu do quarto enquanto eu continuava deitada de lado toda aconchegadinha.
Botei os braços para fora e espreguicei-me. De seguida levantei-me e vesti as mesmas roupas de sempre.
Fui até a casa de banho e depois fui tomar o pequeno almoço preparado pela minha irmã na cozinha.
Depois disso fui até ao ponto de encontro: Portões de Konoha.
Lá estava também a equipa dez, o Yamato já não lá estava como íamos acompanhados pelo asuma-sensei.
-Bom dia. –Dissemos uns para os outros.
-Prontos para a missão? –Perguntou o Asuma-sensei.
-Sim! –Disse a Ino.
            Graxista… O que ganha com isso? Mais parece um circo.
Olhei para a Ino de canto de olho, tal como ela olhava para o Sai (mas ela tinha um olhar de encantada).
-O que esta chata está aqui a fazer? –Sussurrei para a Sakura.
-Sinceramente…
Não sei qual era a razão de nos juntarmos em missão com a equipa dez. A missão era: Convencer uma rapariga a voltar para casa. Mais simples que isso? Eu própria agarro-a pelos cabelos e obrigo-a facilmente!
Inicia-mos o caminho para a missão.
A Ino começou a dar paleio com o Sai:
-És novo na equipa sete?
-Sim.
-Ah. Giro.
Só de ouvir a conversa dava-me enjoos.
-Estás a pensar no mesmo que eu? –Perguntei á Sakura.
-Provocar a Ino? –Respondeu-me baixo.
-Yap.
Olhei aqueles dois de canto de olho e a Sakura também olhou. Virámo-nos uma para a outra ao mesmo tempo e acenando em forma de “Sim!” fomos para o lado do Sai. Dei um encontrão á Ino e fiquei do lado esquerdo dele, a Sakura ficou do direito.
Enrolei o meu braço no dele e olhando para trás deitei a língua de fora para a Ino.
Ela remoeu-se toda. Eu só estava a fazer aquilo por estar a odiar a Ino.
O Sai ficou saltando os olhos por nós as duas e deu um sorrisinho.
Os outros rapazes ficavam olhando para nós, e ainda se estavam a rir.
Olhei para o Sai e raparei que ele fazia sorrisinhos sarcásticos e que na verdade estava a achar aquilo tudo uma estupidez e uma seca.
A Ino colocou-se ao meu lado e olhei com um olhar mau, ela olhou-me com um sorrisinho maléfico e quando fui a ver pregou-me uma rasteira.
Caí ao chão e fiquei olhando com a cara cheia de terra eles sempre seguindo sem olhar para trás.
Levantei-me e juntei-me ao Naruto, Chouji e Shikamaru.
-Diz-me uma coisa. Eles ali estão bem? –Disse o Shikamaru.
-O mesmo de sempre. –Disse o Chouji.
-Não, não está nada bem… -Comentei olhando tamanha Katana que o Sai possuía nas costas.
Fui até as costas dele e arranquei-lhe a Katana. Soltou-se logo dos braços das raparigas e apontou-me uma Kunai ao pescoço e agarrando pelas pontas dos dedos na Katana.
-Eu sabia! Tu queres matar-nos a todos! –Gritei.
-Oh! Prontos…! Lá está ela! –Disse a Sakura.
-Que repetitiva. –Disse o Sai tirando-me a Katana das mãos enquanto eu fiquei paralisada.
-Já podes tirar a Kunai do meu pescoço? –Perguntei.
Ele guardou a Kunai na bolsa.
-Hum… Deves ter algo escondido na bolsa… -Comentei baixo, quase para mim mesma.
Ele suspirou.
Voltei para a beira do Naruto e dos outros de braços cruzados.
-Estás cismada nisso. –Comentou o Chouji.
-Oh! Cala-te! –Resmunguei. –Passa mas-é para cá uma batata!!!
Arranquei-lhe bruscamente o saco de batatas fritas da mão e agarrei-me a comer.
Algum tempo depois chega-mos a uma arriba.
-Tipo… Agora vamos deitar-nos abaixo disto? –Resmunguei.
-Sim, lá em baixo é a gruta onde a rapariga está. –Disse o assuma-sensei-
Engoli a seco.
-É melhor ir primeiro eu, vocês saltam logo a seguir. –Continuou.
Assim fizemos, eu fui a última (como sempre).
Caí na água como se leva-se uma valente estalada, é que invés de me atirar de cabeça não, atirei-me de barriga para baixo.
Pouco depois a minha pele ficou vermelha com tamanha “chapada” que levei.
A Sakura ajudou-me a entrar na gruta estendendo-me a mão.
-Cuidado. –Disse o Asuma-sensei começando a caminhar encostado á parede.
Eu avancei o Asuma-sensei e fui á frente dele, não gostou nada disso.
Depois de passar uma ligeira curva vi uma rapariga de cabelo branco apanhado e vesti-a uma capa preta (mas não era da akatsuki).
Mal se virou para mim fez um Jutso de água que lançou uma onda na minha direção que me lançou para fora da gruta juntamente com os outros.
Caí á água e fui logo comentada:
-Belo serviço, porque quiseste ir á frente?!? –Disse o Shikamaru.
-Tu ficas aqui agora! Nós vamos lá cima tratar de tudo! –Disse o Asuma-sensei.
Naquele momento só queria que a surpresa da Shizune acontece-se imediatamente, eu não presto para missões, quer sejam simples ou fáceis.
Por estar na água ninguém reparou que eu fiquei a chorar, a Sakura disse:
-Não fiques triste. –Passou-me a mão no ombro e foi ter com os outros que já estavam a subir a arriba caminhando.
Saí da água e sentei-me na areia virada para o mar a pensar.
-Tenho que provar que consigo… -Falei baixo.
Levantei-me e fui o Jutso de eletricidade contra a arriba. Caíram alguns calhaus, (a arriba não caiu abaixo).
Concentrei o chackra nos pés e corri por ela acima a uma velocidade impressionante. Entrei por lá a dentro bruscamente e vi-os já espalhados pelo chão, a rapariga estava a remexer nas coisas do Asuma-sensei.
Fiz novamente o Jutso de eletricidade e espetei-o na barriga dela. Repeti com a outra mão.
Dei-lhe vários socos de eletricidade repetidamente até que a esbarrei contra a parede.
Caiu para o lado a tossir com as mãos sobre a barriga.
Afastei-me dela, ela levantou-se e fez novamente o jutso de água.
Fiz o Kawirimi no Jutso (trocar por uma árvore) e ela acabou por lançar apenas contra a parede enquanto eu lhe apareci pelas costas e imobilizei-a agarrando-a por um braço atrás e apontando-lhe uma kunai ao pescoço.
-Boa Hikari! –Disse a Sakura.
O Asuma-sensei levantou-se e agarrou nela da mesma forma que eu estava.
Não havia grande sombra, mas o Shikamaru tentou fazer o Jutso de controlar pela sombra de costas para ela mas não conseguiu.
Ajudei-o fazendo uma luz de eletricidade á volta da minha mão e viu-se uma sombra atrás dele que cresceu até a rapariga.
-Vamos sair rápido! –Disse a Ino.
O Shikamaru correu para fora da gruta, e a rapariga fez exatamente o mesmo pois estava a ser controlada pela sombra.
Corri para fora, quando cheguei á ponta da arriba dei um salto e atirei-me com os joelhos na barriga.
Juntámo-nos todos na praia.
-Aonde é para a levar? –Perguntou o Shikamaru.
-A casa dela não fica longe, é já ali perto. –Respondeu o Asuma-sensei.
Começámos a caminhar.
-Ela até é gira. –Comentou o Chouji.
A Ino começou logo a remoer-se toda, ela quer ser a favorita de todos os rapazes, só pode!
-Tem cabelo branco, parece uma velha. –Disse o Naruto.
O Shikamaru caminhava junto deles, a rapariga estava a uns cinco metros atrás dele.
Eu, a Sakura e a Ino íamos á beira da rapariga. O Shikamaru não ia aguentar muito mais tempo, aliás o Jutso já estava a durar mais que o normal.
-Ó sai! –Chamei. –Já que querias tanto ser da minha equipa anda cá para ajudar a controlar a miúda!
Ele parou de caminhar, continuou quando passamos por ele.
Nós estávamos do lado esquerdo dela, enquanto ele foi para o direito.
-Não aguento mais! –Avisou o Shikamaru caindo de joelhos no chão.
Viraram-se todos para a rapariga, o Sai agarrou-lhe no braço direito e calcou-lhe o pé enquanto eu puxei o braço direito dela a por trás até ao pescoço e lhe apontei uma kunai.
O Sai tirou o pé de cima do dela.
-Podemos continuar. –Disse o Sai.
A Sakura colocou-se á frente da rapariga por segurança, a Ino teve que ficar atrás (De certeza que ela queria ir á frente).
A Ino já ia a ultrapassar-me para dar um encontrão á Sakura, mas eu interrompi:
-Ei! Vai para o teu lugar!
-Já vou! Calma! –Respondeu.
O Asuma-sensei ia no paleio com os rapazes, enquanto nós íamos a levá-la em má posição. Já me doía o braço de a agarrar.
-Sakura-chan. –Disse o Sai. –Podes fazer umas algemas de chackra?
-Claro. –Ela fez as algemas e eu largou o braço direito enquanto ela a colocava, depois eu larguei o esquerdo e prendeu-a.
Não parei de apontar a Kunai.
-Acho que já podes baixar a Kunai. –Disse a rapariga.
-Pois… mas quem decide sou eu. –Respondi.
-Deixa estar que eu levo-a. –Disse o Sai.
Larguei a rapariga e ele retirou uma Kunai da bolsa e ficou apontando-a como eu estava.
Estiquei os braços para descontrair.
Levámos a rapariga até Konoha, entrámos na sala onde nos entregavam as missões e lá estava uma senhora com cerca de quarenta anos á espera da rapariga.
A Shizune, a Tsunade e o Iruka estavam numa secretária.
Deixa-mos a rapariga com a mãe, a rapariga estava cabisbaixa e muito mais mansinha do que quando a fomos capturar, nem se compara!
A senhora agradeceu e foi-se embora. A Tsunade-sama entregou-nos o dinheiro.
Corri até a secretária e colocando as duas mãos na mesa em frente á Shizune perguntei toda contente:
-É agora?
-Desculpa, mas agora estou atarefada. Prometo que logo que puder e quando uma pessoa chegar eu te revelo.
-Aih! –Fiquei toda empolgada e saí da sala aos saltinhos.

1 comentário:

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...