Pesquisar neste blogue

2011-12-17

1º Cap. "Sakusei" - Akatsuki pela casa a dentro

O cabelo é vermelho só que na foto ficou cor de rosa

Eu sou a Haruna, a irmã mais velha do Naruto.
A história começa quando eu tinha 15 anos e o Naruto 12. Nessa idade eu já era jounnin e fazia as minhas próprias técnicas, todas acabando por serem proibidas. Eu sabia muitos Jutsus de diferentes tipos, mas a maior parte era Kinjutsu (técnicas proibidas).
Numa noite… eu acabara de fazer uma técnica nova explosiva. Nomeei-a de “Bunshi nobakuhatsu”, era uma técnica altamente poderosa e que me dava controlo de tudo á minha volta, depois de fazer os selos soprava pela boca partículas microscópicas de material explosivo mas o tamanho não contava, o que fazia diferença era a quantidade de chackra que eu concentrava nelas enquanto estavam dentro de mim, depois de lançadas para o exterior eu era a única que as conseguia ver e podia controlá-las, para as fazer explodir era só fazer o selo “Katsu”.
Nessa noite testei-a com sucesso, e aproveitei-me dessa nova técnica para acertar contas com uma pessoa. Essa pessoa era um rapaz que me amedrontava mais que tudo quando andava na academia, eu tinha uma chance de me vingar nessa altura.
Deixei o Naruto sozinho em casa e fui cautelosamente até as traseiras da casa dele.
Fiz a minha nova técnica “Bunshi no bakuhatsu” e expirei partículas com quantidades mínimas de chackra que voaram até a janela do quarto dele. Entraram por uma ranhura.
-Hum…Hum…! Vais morrer de susto! –Falei para mim própria. –Katsu! –Gritei num tom grosso.
Levei com uma pedra nas costas. Caí ao chão mas levantei-me logo a correr para longe.
Vi a casa a cair toda abaixo, afinal eu tinha concentrado mais chakra do que pensava. Nem fui ver se o matei, aquilo foi tiro certeiro.
Comecei a dar em doida quando vi que acabara de matar aquela família toda que lá estava a dormir. Mas o que reparei, é que eu gostei de sentir a explosão. Comecei a puxar os meus cabelos e a gritar.
Tive medo que me prendessem e corri para explodir com os policias e tentei explodir com a casa do hokage. Mas aí os guardas me apanharam.
Após isso fui expulsa da vila, amarraram-me com cordas que tinham proteção contra Jutsus de fuga e arrastaram-me até aos portões de Konoha.
A multidão foi assistir á minha partida, eu tinha os olhos fechados de tanta dor, quando olhei á minha volta vi o Naruto a chorar e a gritar por detrás do Iruka-sensei. Fiquei comovida com a cara dele.
Atiraram-me para fora e depois de fechados os portões as cordas desapareceram.
Nessa noite não dormi mais, senti-me enlouquecida. Andei ás voltas mesmo em frente dos portões de Konoha e tentei explodi-los várias vezes mas eles tinham colocado uma barreira de proteção. Fiquei enraivecida. Fora expulsa de minha casa por um ato sem pensar.
Aquilo até tinha a sua justiça, naquela noite eu matara metade da população de Konoha com explosões. Mas daí eu jurei que iria acabar o meu trabalho… Ou seja, matar a população restante.
Ainda adolescente e imatura com 15 anos dormi várias vezes na rua, usara minhas técnicas para roubar, matar, e muito mais além.
Tornei-me vilã e semi-terrorista. A pessoa de que eu mais tinha saudades era o meu irmão Naruto, mais novo que eu e sozinho, pois toda a gente o odiava por ser um Jinchuuriki (portador de um demónio de caudas, neste caso, a Kyuubi).
Demorou até conseguir encontrar uma casa, mas consegui, uma situada na vila da chuva.
Eu perdera a minha fita ninja pelo caminho, só pela má fama é que os outros me reconheciam, eu virei noticia em todo o mundo shinobi.

Agora tenho 18 anos e ainda vivo sozinha, desisti de ser shinobi e agora sou empregada doméstica, mas não vivo na casa dos meus patrões, apenas passo lá o dia e á noite vou dormir a casa.

No fim de um dia de trabalho, eu voltava para casa ainda com a farda e o lencinho na cabeça. Naquela noite levei a esfregona e o balde para casa emprestada para limpar a minha casa.
Mal bati a porta ouvi alguém gritar “Katsu!”, uma voz de homem grave.
Atirei o balde para o chão e agarrei na esfregona apontando-a para um buraco que fizera com a explosão na parede de minha casa.
Com a fumaça e o escuro da noite eu não conseguia ver quem era, e ainda por cima eu tinha apenas um candeeiro fraquinho ligado.
-Akatsuki? –Pensei para mim mesma ao ver três homens de capa preta com nuvens vermelhas.
Reconheci-os logo a todos, eu sabia muita informação sobre vários ninjas… especialmente dos da Akatsuki.
Um deles era o Itachi Uchiha, também fora renegado de Konoha. Outro era o Kisame Hoshigaki também renegado da vila oculta da onda. E o outro era o Deidara cujo ultimo nome não sei, mas sei que fora renegado da vila oculta da pedra.
Mas o que será que eles queriam de mim? Os três eram bastante fortes, bastava olhá-los de cima a baixo para perceber isso.
-O que vocês querem? –Perguntei regressando á calma e pousando a esfregona.
O loirinho era o Deidara e era o que estava no meio dos três, olhou para os dois do seu lado e disse com cara de aborrecido:
-Acham mesmo que isto é necessário? Uma rapariga?!
Coloquei as mãos atrás das costas e fiz os selos da minha técnica “Bunshi no bakuhatsu” (a que espalha partículas explosivas por onde eu quiser), expirei dando o menos possível nas vistas. Senti logo que o Itachi me estava a observar e a perceber tudo o que eu estava a fazer através do Sharingan dele.
-São ordens do mestre. –Respondeu Kisame.
-Ponham-se a andar daqui para fora! –Gritei pegando na esfregona e atirando-a para eles.
Deidara: -É isso o que ela sabe? Prefiro fazer o trabalho sozinho.
Itachi: -Ela é de Konoha como eu, foi expulsa ao explodir metade da vila toda. Inventa as suas próprias técnicas tornando-se imprevisível, e é famosa também por usar técnicas Kinjutso.
Deidara: Explodiu? –Disse meio admirado. –Isto começa a interessar-me.
-Sejam diretos! –Gritei.
Kisame: -Queremos que te juntes á Akatsuki.
-Por que raio havia eu de fazer isso?! –Respondi já meia alterada.
Deidara: -Então vamos fazer assim… Lutas comigo, se ganhares não precisas de te juntar a nós, mas se eu ganhar juntas-te automaticamente.
Itachi para o Deidara: -Vais fazer do mesmo jeito que fiz contigo?
-Kat… -Quando disse calmamente a primeira parte do selo “Katsu” para fazer explodir as moléculas que tinha espalhado em volta deles, o loirinho ficou de olhos arregalados. –tsu.
No momento em que acabei de dizer aqui a casa foi pelos ares e protegi-me com um escudo de chackra.
Quando abri os olhos para ver o que lhes tinha acontecido vi os três mortos cheios de sangue no chão. Aproximei-me e no preciso momento em que ia fazer o “Kai” (liberar) para ver se era uma ilusão, um bichinho pequeno de argila saltou para a beira dos meus pés e reconheci logo como um ataque do Deidara. Eu sabia que um dia iria dar jeito saber tudo sobre a Akatsuki. (vi logo que os três corpos mortos eram ilusão).
Esperei que ele dissesse “Katsu” para o anular com mais uma das minhas técnicas chamada “Kyanseru” que impedia qualquer explosão que eu quisesse, mas, porém eu só podia usá-la três vezes a cada 24 horas.
-Katsu! –Naquele momento apercebi-me que o verdadeiro Deidara estava mesmo atrás de mim.
-Kyanseru! –Gritei logo de seguida.
Não houve nenhuma explosão, eu fiquei logo com um risinho no canto da boca.
Deidara: -k-ah?
-Esta é uma das minhas técnicas, anula as explosões que são ativadas por o “Katsu”. Não tens hipóteses. Que venham os três ao mesmo tempo! Não me vencem!!! –Gritei.
Assim fizeram como eu disse, o Itachi preparou-se para me acertar um soco, o Deidara preparou-se para fazer novamente o Katsu, e o Kisame apontou-me a espada de espinhos dele.
Fiz o Kawirimi no Jutso (troca o corpo por um pedaço de tronco de árvore), essa técnica não fora eu que inventei mas me servia de muito.
Fui parar atrás do Itachi e fiz-me para lhe acertar um soco, mas ele deitou-me ao chão.
O Deidara ativou a explosão e eu fiquei bastante ferida. Levantei-me e apontei-lhe uma kunai ao pescoço. Enquanto o distraía com aquilo agarrei num explosivo e colei-o na capa dele sem dar por isso.
Recuei quando ele esticou a perna para me acertar. Senti uma rajada de ar frio nas minhas costas e olhei para trás, era o Kisame que estava a rodar a espada á volta dele na minha direção.
Dei um salto mortal no ar e entretanto atirei três kunais com explosivos atados.
-Selo Explosivo: Ativar! –Pronunciei aquilo o mais rápido que pude para não lhes dar ainda mais tempo para se defender.
De repente senti-me toda machucada e sem forças, não estava a perceber o que estava a acontecer.
Deidara: -Caíste na mesma armadilha que eu caí.
-O quê??? –Perguntei.
Kisame: -Olhas-te nos olhos de Itachi e caíste no Mangekyo Sharingan dele, pensas-te que o estavas a atacar, mas na verdade estavas a atacar-te a ti própria.
Não percebi nada do que se tinha passado.
-Isto não acabou… Eu não vou virar Nukenin! –Berrei.
Itachi: -Perdeste, de agora em diante fazes parte da Akatsuki.
-Dá-me uma boa razão para eu fazer isso! –Gritei já furiosa.
Deidara: -Acho que uma pessoa que deita a casa pelos ares não raciocina, por isso não precisas de razões.
-Cala a boca Deidara-san!
Deidara: -Já vi que não foi á toa que o mestre Pain escolheu esta rapariga.
Itachi: -Ela sabe bem que Pain é Nagato… Uzumaki.
Fiquei apavorada a ouvir tal coisa… Sabia muito sobre a Akatsuki, umas das coisas que me faltavam era descobrir a identidade de Tobi e de Pain.
-Uzumaki? –Perguntei.
Deidara: -Ela não sabia.

Após aquilo, Itachi ainda andou a tentar meter-me coisas na cabeça para eu desejar a vingança de Konoha e até devo dizer que “semeou” a minha raiva.

-Deidara-san… O Sasori-senpai morreu, não foi? Quem o matou? Eu sei que querem que eu o substitua.
Deidara: -Haruno Sakura e a vovó dele.
-Hum… Eu vou fazer dupla com um idiota loirinho? –Ofendi-o propositadamente.
-A quem estás a chamar idiota?!!! –Ele ficou logo em fúria.

Antes de partir fiz um Jutso que restaurava qualquer objeto, usei-o para restaurar a minha casa e depois é que fui com eles. Ficou-me atribuído o elemento “Sora” mas não recebi o anel pois estava com Orochimaru e ele não tinha ideias de o devolver, recebi uma capa preta com nuvens vermelhas e coloquei uma fita branca desde os pés até aos joelhos.
A fita dava para tapar a ligadura da perna direita, tinha-a partido em combate há muito tempo atrás e seria muito difícil para a regenerar, nunca consegui desenvolver um Jutso médico para resolver isso, a minha perna ficou negra e então coloquei um pedaço de ferro á volta para não correr riscos de deformar ou rasgar veias e prendi bem com uma liga branca. Não me preocupo muito com a perna, apenas uso (enquanto a movo) um Jutso que me ajuda a andar e assim não fico mancando.
Agora que voltara a fazer missões, mas desta vez do lado vilão e correndo atrás do meu objetivo (…), tenho que procurar rapidamente um bom ninja médico para a regenerar.

8 comentários:

  1. Gostei muito do primeiro capitulo está *O*

    Quero mais^^
    Bye BYE

    ResponderEliminar
  2. A-M-E-I o primeiro capitulo
    Aguardando os proximos ^^

    ResponderEliminar
  3. *-* Está demaiiiis, eu també tenho uma fic em Naruto =].
    Mas sério eu AMEI o seu capitulo *-* amo a akatsuki ^^. Aguardando o proximo =)

    ResponderEliminar
  4. Também eu gosto da Akatsuki =)

    Obg a todos^^

    ResponderEliminar
  5. Não keria muito fazer um novo post com o k vou dizer a seguir, cá vai:

    Acabei de colocar link em palavras do anime, no link tem o significado.

    ResponderEliminar
  6. Boa ideia! Deu-me muito jeito!

    Adorei o capitulo, espero por mais <3

    ResponderEliminar
  7. Simplesmente...Amei...estava demais o capitulo...espero ansiosamente pelo próximo!! ^^

    ResponderEliminar

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...