Pesquisar neste blogue

2011-12-23

Fanfiction "amigos para sempre" (TODOS os capitulos)

Itachi e Soran (Sally)

Primeiro capitulo - Um mar de saudades

Livro 1 - Sakura

Sobre a leve sombra das árvores, estava Sakura no parque público sentada num banco a ler uma revista semanal.
De repente parece que o Sol deixa de a iluminar ainda mais. Ela alevanta o rosto e vê um rapaz bonito á frente dela.
-Sasuke? És tu? –Pergunta Sakura.
-Sim, sou eu, não me reconheces? –Responde ele.
Ela cora e diz:
-Já lá vai algum tempo...
 Ele desliza para o banco e fica colado a ela.
-E o que fazes por aqui na cidade? –Pergunta Sasuke.
-Moro aqui. E tu?
-Mudei-me hoje para aqueles prédios ali adiante. –Disse apontando.
-Já podemos ver-nos mais vezes.
-Pois... –Ele fica baralhado e timído. –Olha as horas... Já tenho que ir. Até a próxima!
-Já? ‘tá bem, até a próxima!

Livro 2 - Naruto

Eram seis da manhã, o despertador desatou a tocar.
-Já? Tão cedo! –Reclamou Naruto.
Deu meia volta, e «Trás!», caiu no chão.
-Vai ficar marca... –Pensou Naruto ao passar a mão na testa.
Entretanto com a força embotida no chão após a queda dele, um quadro que estava em cima do guarda-vestidos cai ao chão e parte-se em bocadinhos.
-Mas o que é isto? –Pensou ao pegar na foto que estava no meio das farpas e dos vidrinhos.
Limpou o pó que repousa-va em cima da foto, e vê uma menina sorridente de cabelos longos e cor-de-rosa no meio dele e de um rapaz de cabelos pretos azulados e com cara de “Que chatisse!”, e atrás deles estava um senhor de cabelos cinza com um pano a tapar a boca.
-Eu, a Sakura, o Sasuke e o Kakashi-sensei. –Disse com uma lágrima no canto do olho. –Mas que saudades. Quem me dera estar junto deles, mas não faço a mínima ideia de onde estão.
Senta-se na beira da cama e vê uma gota cair na fotografia, tentou limpar mas acabou por borratar a parte onde estava ele.
-Lindo serviço. –Resmungou Naruto. –Tenho de os encontrar, foram e continuam a ser grandes amigos para mim, graças a eles saí da solidão.
Sem pensar mais pegou numa mochila de viagem e pôs-se a caminho da cidade.
Porém, ele vivia numa vila, e era muito distante da cidade, terá que andar muito á procura deles.

Segundo capitulo - Tudo começa aqui!

Após alguns minutos do começo da sua aventura á procura dos amigos, Naruto encontra –se no meio de uma destruição acabada de começar provocada pela invasão da Akatsuki.
-Não acredito... A vila oculta da areia está em chamas.
Naruto desata a correr á procura dos protagonistas e Sally fica a olhar paralisada e pensa com medo:
-Itachi...
Passado uma esquina Naruto encontra num beco o Itachi Uchiha e o Kisame Hoshigaki como se já estivessem á espera dele.
-És mais previsivél do que esperava... –Comenta Itachi.
-O quê?! –Diz Naruto sobressaltado.
Ele ergue o seu olhar para ele e auto-amarra-se.
-Ele deve estar doido de vês! –Pensava Naruto.
Enquanto tentava perceber o que ele estava a fazer, já não tinha tempo para fazer nada... Ao fim de contas o Itachi troca de lugar com ele e quem fica amarrado é o Naruto.
-Já devia saber! –Diz Naruto.
-Tu agora vens conosco. –Diz Kisame agarrando-o e fazendo desaparecer os três.
Os shinobis que procuravam aqueles dois da Akatsuki, deram voltas mas nada encontraram, já era de esperar, Itachi juntamente com Kisame eram imparáveis. Ao final de contas toda aquela destruição foi apenas um “pequeno” prazer de Kisame.
O objectivo principal da Akatsuki era recolher todos os bijuus (demónios, tal como a raposa de nove caudas). Envolveram Naruto numa armadilha e capturaram-no.
Kisame levou os três para um dos esconderijos da Akatsuki.
-Mas onde é que eu estou? –Pensava Naruto.
Itachi para de caminhar, parecia que alguém estava a seguir-lo.
Do alto da gruta cai uma rapariga com uma capa castanho claro a cobrir-lhe a cara, as costas e o braço esquerdo. Tinha um lenço a tapar a a boca e o queixo.
Ela alevanta-se mas não tem tempo para retirar um shuriken pois Itachi pega no dela e põe-o colado ao pescoço dela.
Naruto olhava o que estava a acontecer mas tudo tinha sido rápido demais para ter uma reação rápida ao ponto de defender a rapariga.
Tenta libertar-se da corda áspera mas não consegue.
-Se me tentares tirar a capa, eu juro que te mato! –Disse a rapariga a Itachi.
-Essa voz... –Diz Itachi. –Não me é estranha.
Ela fica pensativa e trémula.
Entretanto Naruto interrompe e deita Itachi ao chão.
A rapariga escorrega na parade e cai ao chão, quase abafada.
-Eu nem preciso de te matar, tu próprio o fazes todos os dias. –Comentou a rapariga. –Olha para ti, estás cheio de olheiras de não dormir, não te alimentas bem, tens uma vida de cão a bem dizer!
-Quem és tu para dares lições agora?!!
Ela abaixa-se á frente dele e aleventa-lhe uma madeixa que lhe tapava um olho e diz:
-Não imaginas... –um sorriso maléfico apareceu na cara dela.
Ele olha para a bandeja dela e vê que é da vila oculta da folhagem.
A rapariga alevanta-o e encosta-o contra a parede.
-Isto é por tudo o que fazes! –Dito isto dá-lhe muitos socos seguidos na cara.
Kisame desembrulha a sua espada e aponta-a á rapariga.
-Isso não me aleija!!! –Grita a rapariga enraivecida.
Ela dá um soco na espada e desfás-la em bocados, olha para Kisame e atira-lhe com 5 shurikens ficando preso á parede de rocha.
Itachi já sangrava do nariz, então é aí que ela para de lhe bater e foge com Naruto.
Quando os dois já tinham saído do esconderijo ela usa a técnica de transporte e leva-os para a vila oculta da areia.
-Quem és tu? –Pergunta Naruto.
Ela retira a capa da cabeça e solta o cabelo , daí tira o lenço que tapava-lhe o lindo sorriso.
-Sou eu! –Diz a rapariga. –A Sally.
-O Jiraya disse que eras tão forte como o Itachi, porque é que estavas com medo?
-Depois eu digo-te... –Ela olha em seu redor. –Temos de ir antes que eles voltem.


 Terceiro capitulo - A doença de Itachi

Os dois entram numa floresta, sempre cuidadosos.
À medida que avançavam, o vento era mais gelado e forte. De repente, os dois sentem uma rajada de vento ainda mais forte.
-Alguma coisa aqui não está bem! –Diz Naruto.
Sally aproxima-se dele e diz:
-Prepara-te com cuidado, eles estão por perto!
Os dois param de caminhar e olham em frente. Os dois membros da akatsuki aparecem novamente á frente deles.
Itachi fica todo confuso por ter descuberto quem era aquela rapariga que tinha tanta raiva dele, mas não mostrou o que estava a sentir, apenas fez um sorriso de arrogância e disse:
-Com que então eras tu!
Naruto fica enraivecido e irritado com a persistência deles.
-Seus palermas, já vão ver! –Gritou Naruto.
Itachi aponta-lhe um shouriken, quase que o lança-va com precisão, mas Sally aponta-lhe o dela e pára-o.
Naruto prepara-se para fazer o Rasengan enquanto Itachi estava ocupado com a Sally a lutar.
-Rasengan! –Grita apontando-o á barriga de Itachi.
-Ele não deve estar bem... –Pensava Sally. –Para não se ter defendido do Rasengan do Naruto...
-Eu não vim para lutar... –Diz Itachi.
Sally fica enervada e agarra-o pelo pescoço e atira-o contra a parede bruscamente, e insulta-o.
-Tens a lata de apontar um shouriken ao Naruto e depois dizes que não vens para lutar, então é para quê! Matar á primeira?!
-Nada disso. –Interrompe Kisame. –Deixa-o falar.
Ele ajeita-se e continua:
-Quero pedir-te para me ajudares... Eu tenho uma doença.
-E daí?
-Não te faças ruim, eu conheço-te, e tu também me conheces... Eu não quero morrer por esta doença, mas sim pelas mãos de Sasuke.
-Sasuke!?! –Grita Naruto isaltado. –Seu tarado! Destrois vidas só para morreres como queres, e os outros como é que achas que queriam morrer?!
-Não é isso, Naruto... –Interrompe Sally. –Eu até sei por quê...
-O quê?! –Naruto fica confuso. –Estás a defender-lo?
-Cala-te! –Diz Sally.
-Não entendes? Eles vão fazer-nos mal!
-Naruto! –Ela vira-se para Itachi e diz. –eu sei aonde queres chegar, mas eu não posso. Procura a Tsunade, talvez ela te ajude...
-Mas também não quero ser curado por ela...
Sally interompe-o dizendo:
-Não fales mais e deixa-nos em páz, prome-te!
-Não posso.
Ela vira as costas e coloca o seu braço em cima do ombro de Naruto.
-Acabou-se de vês... –Disse magoada por dentro deixando uma lágrima cair-lhe.
Ele baixa a cabeça e Kisame fica a olhar para ele.
Sally e Naruto desaparecem do caminho a correr.
Algum tempo depois, param para descansar.
Naruto não aguentava mais sem perguntar o que se passava com ela.
-Sally...
-Deixa-me estar, agora não.
-Está bem. Acho que já percebi tudo.
_ _ _
Sakura estava a dar um passeio, ao virar da esquina vê Tsunade e vai ter com ela.
-Já tem noticias do Naruto e de Jiraya?
-Não, Sakura, quando souber de alguma coisa eu vou ter contigo e digo-te.
-Obrigada. –Ela abraça Tsunade.
Sakura continua a caminhar, e depois de andar alguns metros, encontra Ino a abraçar Sasuke.
Ela disfarça que não vê e dá meia volta.
-Sakura! –Chama a Ino. –Tens novidades do Naruto?
-Desde quando é que te preocupas com ele?!
-Desde sempre... –Mentiu.
Sakura entendeu logo que apenas queria que ficasse com inveja daquele abraço com o mais giro da turma.
Apesar de tudo, ela estava corruída de ciúmes, estava confusa, sem saber como reagir.
-Eu tenho que ir... –Disse com voz trémula.
-Está bem... –Disse fazendo-lhe deitando-lhe a língua de fora sem Sasuke se aperceber.
Sakura enerva-se e dá-lhe um murro bem acente na cara.
-O que te deu, Sakura? –Disse Sasuke.
Ela vira costas e sai toda enervada com aquele comportamento da Ino.

Quarto capitulo - Ramen!

Sakura sai toda enervada da beira da Ino e de Sasuke, a pensar:
-Ino, Ino... E mais Ino! Eu não vou perder para ela! Ela já vai ver de quem é o Sasuke!
Ela trava-se numa pedra e cai de joelhos.
-Mas o que é que eu estou para aqui a pensar! Dantes éramos grandes amigas, quando caía ela vinha ajudar-me, mas desde que disse que éramos rivais, tudo mudou e neste momento está a rir-se de mim... –Pensou Sakura
Ela alevanta-se triste, a pensar no porquê de as duas gostarem do mesmo.
-Eu vou ver como ela está. –Disse Sasuke para Ino.
Ino roeu-se de inveja e virou costas seguindo para casa.
-Sakura! –Chamou Sasuke. –Estás bem?
-Ele está bem? –Pensava Sakura. –Nunca o vi assim...
Ela abana a cara a dizer que sim.
-Visto que estás bem, vou para casa...
-Chau.
Ela fica pasmada a olhar para ele, nem parecia o Sasuke que tinha conhecido.
Ela suspira e fica parada a pensar
- - -
Naruto e Sally continuavam a caminhar para Konoha.
-Não tens fome? –Diz Sally.
-A minha barriga confirma! –Diz ao apalpar a barriga dele que estava a roncar.
Os dois olham em frente e vêm um restaurante.
-O último a chegar é quem paga! –Diz Sally
Naruto desata a correr, ele olha para trás e vê que ela nem andou um passo em frente.
-Assim vais pagar tu! –Grita Naruto.
-Enganas-te! Olha em frente!
Ele olha em frente e vê uma outra Sally já sentada num banco, e aí olha para trás e vê que era apenas um múltiplo para o enganar.
-Nem abras a boca, eu sei que ganhas-te! –Resmunga Naruto.
-Se é assim que queres... –Diz Sally com um sorriso no canto da boca. –Já agora pede um prato de Ramen para mim.
-O quê?!! –Grita Naruto saltando para cima da mesa. –Tu gostas de Ramen!
-É claro! –Diz também saltando para a mesa.
-Então quem acabar o primeiro prato mais rápido tem direito ao segundo!
-Aceito!
O empregado aproxima-se deles e pergunta:
-O que vão desejar?
-Ramen!!! –Gritam os dois ao mesmo tempo virados um para o outro.
 Pouco tempo depois, o dois pratos de Ramen são postos na mesa.
-1... –Diz Sally.
-2...-Diz Naruto
3...!!!-Gritam os dois ao mesmo tempo e começam a comer.
A comida desapareceu rapidamente dos dois pratos, mas quem ganha é Naruto.
-Está bem... Aceito a derrota. Venha aí mais uma rodada para ti!
Naruto fica todo contente e deliciado com a comida favorita dele.

Quinto capitulo - De volta a Konoha!

-Já comeste tudo? –Pergunta Sally.
-Já, vamos lá! –Diz entusiasmado.
Naruto paga a conta e os dois saiem do restaurante de barriguinha bem cheia.
-A minha carteira nunca teve tão vazia... –Disse Naruto.
Sally sorri como quem diz : “comemos demais”
Já não devia faltar muito para chegar a Konoha, os dois começavam a reconhecer melhor as árvores e caminhos que marcavam a proximidade da terra natal de ambos.
O sorriso de Sally caia a cada passo que dava em direção de Konoha, não podia seguir muito mais em frente, mas não queria deixar Naruto sozinho pois sabia que a Akatsuki ainda não tinha desistido de o apanhar.
-Naruto, tu sabes defender-te bem?
-Claro! –Disse passando a mão no pescoço. –Mas porque perguntas?
-Não vou poder acompanhar-te até à entrada de Konoha...
-Ah?
-Estás a ver a minha fita ninja? –Diz retirando-a. –Esta não é minha, mas sim da minha mãe.
-Não estou a entender, onde está a tua.
-Ela está riscada porque eu...
Ela fica rebaixada e arrependida do passado. Sabia que Naruto não a ia entender, mas confia-va nele. Então atira a fita ao chão e pisa-a muitas vezes até o pano se romper todo.
-O que foi Sally?
-Os guardas irão reconhecer-me. Por isso é que eu usava uma capa e dizia que o meu nome é Sally.
-Mas como te chamas?
-Não quero dizer...
-Ah?
-Desde que matei a minha familia toda, nunca mais disse o meu verdadeiro nome a alguém e jurei que só usaria o meu kekkei genkai se alguma vez entrasse para a Akatsuki.
-O quê!?! –Grita Naruto todo irritado. –Eu pensava que eras uma pessoa digna de morrer por ti, mas afinal... Qual é a tua ideia!?! Ah?
-Naruto! –Diz chorando. –Eu queria voltar atrás! Mas não posso... Com isto tudo aprendi que se pode viver com o que se tem e chora-se pelo que não se tem. E o que eu não tenho é Konoha.
-Se queres que eu seja teu amigo, tens de me explicar porque é que fizes-te uma coisa tão horrivél!
-Não é assim tão fácil. Mas isto já vem de quando eu era pequena:
Sempre gostei muito de Itachi e fomos grandes amigos. Eu não tinha jeito para ser ninja, e ele era o melhor da altura. Eu queria estar junto dele e fazia de tudo para o conseguir.
Anter de me tornar gennin eu não conseguia fazer a técnica da múltiplicação de corpos, passava os dias preocupada com isso e treinava muito, mas não conseguia. Pedi ajuda a Itachi, mas ele sorriu e disse que quando precisa-se muito dessa técnica então ái eu conseguia. Fiquei aliviada e no dia não consegui multiplicar-me e reprovaram-me. Passei o resto do dia a chorar sozinha, mas aí pensei que o que ele me disse talvez seja mesmo verdade e fui ter com o professor e implorei que me deixa-se tentar de novo, ele recusou e eu ignorei-o multiplicando-me por quinze e ele mudou de ideias.
Daí comecei a admirar ainda mais Itachi por ser tão dotado.
Nós os dois avança-mos muito depressa a escola em relação aos outros, ele fazia as coisas facilmente como se tivesse nascido para aquilo, e eu tinha que me esforçar ao máximo sempre seguindo os conselhos dele.
Tornámo-nos amigos muito próximos, pois eu entendia-o e ele a mim.
Fiz o mesmo percusso que ele, só não entrei para a ANBU. Desque que ele entrou, não tinha tempo para nada e tornou-se muito estranho. Eu via que ele não estáva bem e persegui-o sempre ateimando que me contasse o que se passava com ele,  ele dizia sempre que não me queria meter no meio mas acabou por ceder e contou-me que a ANBU lhe tinha posto uma missão de matar o seu clã pois se estava a tornar um perigo para konoha (o clã estáva a preparar uma revolução), ele bem podia ter recusado só que ele tem traumas da 3ª guerra mundial ninja e procura sempre a paz. Ele começou a dizer que o clã limitava o seu poder, eu comecei a ter as mesmas ideias que ele... Na noite que ele matou o seu clã, eu não preguei olho, e dirigi-me ao líder do meu clã e implorei-lhe que me deixa-se abandonar o clã, mas ele recusou dizendo que eu poderia assim pôr em risco o kekkei genkai do clã, mas eu re-implorei e ele disse que me tinha de matar, assim foi... tentou matar-me, mas eu acabei por matár-lo e o resto da familia veio a correr ver o que tinha sido aqueles gritos e viraram-se todos contra mim e tentaram também matar-me, eu defendime e matei-os a todos em segundos.
Eu continuo a odiar-los por me terem tentado matar, mas queria ser bem-vinda á minha terra natal, daí eu estar um pouco arrependida.
-As coisas não são assim...
-Naruto eu sei que já começas a odiar-me também, por isso eu quero ser tua inimiga agora em diante, mas quero fazer uma promessa...
-O quê?
-Se alguma vêz tiver que te matar, matarei!
Naruto fica todo medrado a olhar para a cara dela.
Após aquelas palavras, o sorriso transformou-se numa expressão de maldade, os olhos revelavam ódio,  não parecia a rapariga simpáctica que tinha conhecido
-Antes demais, o meu nome é Soran!
Ela pára de dizer mais coisas horríveis, e pensa:
-Acho que já chega. Desculpa Naruto, a mim dói-me fazer isto, mas é o melhor, já que me odeias, assim ficarás sem recentimentos. Eu reconheço o teu valor, por isso se alguma vez tiveres que me matar, matarás e não ficarás com recentimentos como eu fiquei por acabar expulsa.
-Vai, Naruto! –Grita ela.
Neste momento dá-se a quebra de uma amizade curta, mas Soran fez tudo isto para o bem dele, não quer que ele sofra por recentimento como ela sofre.
Agora entra num novo caminho, á procura de Itachi para realizar o seu sonho: lutar com ele.
Ela desata a correr, conhecendo bem Itachi ele ainda não tinha desistido de a procurar.
Ela corre, corre, e corre. Até que encontra Itachi no chão e Kisame estáva ajoelhado á sua beira.
-Itachi! –Grita a correr em direcção dele.
-Tu? –Diz Kisame. –Tu recusás-te, agora talvez seja tarde. Já não vale a pena chorar.
-Nãaooo!!! –Grita a chorar e passa as mãos na cara dele.
O dia começa a escurecer, a chuva cai, e as lágrimas também.
Ele abre um pouco os olhos com o grito dela.
-Itachi! –Diz limpando as lágrimas e a sorrir.
-Estás a chorar? –Pergunta com a vóz fraca.
Ela faz um selo para curá-lo. Uma luz verde rodeia a mão dela e ele começa a recuperar rápidamente.
-Já te sentes melhor?
-Um pouco.
-Eu fiz o que me pedis-te, mas quando ficares melhor, quero que me faças um favor...
-Que favor?
-Quero que me realizes um sonho...
-Qual, é o que me disses-te quando tinhas quatro anos?
 -Ainda te lembras disso?
-Lembro.
Ela começa a pensar:
-Como é que ele se lembra? Daquelo sonho... Se bem me lembro esse era o sonho de beijar um rapaz!
Ela ri-se e diz:
-Não é esse. O meu verdadeiro sonho é lutar contigo.
Ele fica pasmado.
-O quê?
-Sim, ouvis-te bem. Eu tentei criar ódio em ti para comigo, mas não quero. Achei que talvês seria melhor dizer-te directamente.
_ _ _
-Nome. –Diz um dos guardas.
-Naruto Uzumaki.
-Ah! Podes entrar.
Ele passa os portões e desata a correr para um local bem alto.
-Naruto Uzumaki! Está de volta!
Ele começa a correr ás voltas.
-Isto é que é o cheirinho da minha terra natal! Ah! Onde está a Sakura?
Ele corre até a casa dela.
(...)
-Não está em casa?
-Não. –Responde a mãe dela.
-Ah! Está bem, eu passo aqui mais tarde. –Diz passando o braço na parte de trás do pescoço.
Ele continua a correr ás voltas.
-Sakura! –Grita naruto. –Mas onde é que ela se meteu!?
Ele vira a esquinha e encontra-a.
-Naruto! –Grita ela.
-Eh! Eh! Sakura!
-Por onde andas-te?
-Andei a treinar com o Eremita tarado!
-Tenho um presente para ti!
-O quê? O quê?
Ela retira a mão das costas e entrega-lhe uma senha para comer ramen.
-Uma senha para ramen? –Diz Naruto.
-Não queres?
-Quero! Mas é que fez-me lembrar quando estive num restaurante com uma amiga.
-Que amiga? –Pergunta Sakura.
Ela começa a pensar:
-Não sei porquê, mas estou com ciúmes...
-Quer dizer, éramos amigos, agora somos inimigos!
-Mas porquê?
-Nada...
-Está bem...
-Onde está o Sasuke?
-Ah?
-O sasuke, onde está?
-Estive mesmo á pouco com ele. Vamos por ali a ver se o encontrá-mos.
Os dois ouvem passos atrás deles, ambos olham para trás.
-Sasuke! Há quanto tempo!
-Ah? Tu estás bem?
-Amigos são sempre amigos!

Sexto capitulo - O Eremita tarado!
Naruto estáva todo deliciado só de olhar para a senha, Rámen era a comida favorita dele e queria convidar a Sakura para comer com ele.
-Queres vir comer comigo? –Pergunta Sakura. –Eu também tenho aqui uma para mim!
Naruto fica pasmado a pensar aonde ela queria chegar com aquilo tudo.
-Tens? Vamos lá! –ele pára de falar enquanto olha para Sasuke. –Queres vir conosco?
-Não, tenho coisas para fazer. –Disse piscando-lhe o olho.
-Ah! Está bem! Anda Sakura!
-Claro, já vou!
Sasuke fica de braços cruzados a olhar para os dois que seguiam para o restaurante.
-Isto já está avançado, ele ficou todo contente quando recusei, enfim... –Suspirou Sasuke.
(...)
-Sakura... Posso saber uma coisa? –Pergunta Naruto.
-Ah? Sim, claro!
-Porque é que me ofereces-te uma senha e disseste para vir contigo comer?
-Nada de especial, só acho que o próximo Hokage merece! –Disse sorrindo.
-Pois é! O meu grande sonho é ser um Hokage!
Os dois sentam-se num banco á frente do restaurante, e o empregado pergunta a Naruto:
-É Rámen que queres? Certo?
-Sim, aqui está a senha.
A sakura ri-se e diz:
-Já te conhece bem!
-Eu sou muito famoso aqui pelas redondesas! –Disse brincando.
-E tu, Sakura? –Pergunta o empregado.
-Eu também quero Rámen.
O empregado faz rapidamente a comida para os dois.
Coloca as tigelas de Rámen debaixo dos seus narizes. O cheirinho da comida era tão bom, que a fome já crescia á velocidade da luz.
(...)
Sakura limpa a cara com o guardanapo que estáva á sua direita, volta a colocá-lo na mesa e alevanta-se.
Naruto, que já estáva á sua espera, alevanta-se também.
-Queres que te leve a casa? –Pergunta Naruto corado.
Ela fica a olhar para ele e solta um pequeno som da sua boca:
-Sim.
Naruto começa a pensar no passado: O Iruka trazia-o muitas vezes áquele restaurante para comerem os dois Rámen, fora um grande amigo, sempre entendendo Naruto e porque se portáva assim tão mal, tirou-o da solidão. Sakura começa-va a fazer-lhe lembrar do Iruka, é amiga dele, trouxe-o a comer Rámen, e acompanháva-lo naquele momento.
Os dois dirigem-se para casa de Sakura, naquela noite estrelada e fria.
Naruto parecia que tinha os lábios colados, não consegui soltar uma palavra.
-Ele não diz nada... Nem eu. –Pensava Sakura. –Eu sempre gostei de Sasuke, mas ele é especial, não é tão bonito como o Sasuke, mas...
O pensamento é interropido por um grito:
-Naruto! Já cá estás!
Os dois viram-se rapidamente para trás.
-O Eremita Tarado? –Diz Naruto. –Ele parece estar bêbado!
-E está! –Diz Sakura.
-Mas que figura! É sempre o mesmo, já da outra vez gastou o meu dinheiro todo nas meninas!
-Vamos tirár-lo daqui!
Os dois correm para segurá-lo.
-Ó meus queridos, estão bem? Parecem estar bolachudos!
Naruto olha para Sakura ao mesmo tempo em que ela olha para ele, e ambos abanam a cabeça em gesto de “sim!”: Dão-lhe um murro na cara bem acente.
-Que estrelinhas tão lindas! –Disse Jiraya (Eremita tarado).
Ele desmaia e cai para trás.
-Vamos levá-lo para a minha casa. –Diz Naruto.
Começam a arrastá-lo.
(...)
Já quase em casa do Naruto, aparece o Kakashi-sensei.
-Válha-nos Deus. O que se passou desta vez?
-Encontrá-mos o Eremita Tarado bêbado, e então démos-lhe um soco para ele desmaiar. Agora estáva-mos a levár-lo para minha casa!
-Deixem-no estar. Ele vai dormir aqui no chão uma boa soneca.
-Deixámo-lo aqui? –Pergunta Sakura.
-Não é ele que disse que beber é um dos grandes erros para um ninja. É o castigo dele.


Sétimo capitulo - Deixada!


Soran pára a conversa e concentra-se a curar Itachi com um dos seus Jutsus médicos. Estáva a ficar sem chakra pois tinha precisado de muito para a doença dele.
-Só mais um bocadinho! –Diz já quase sem forças para se manter em pé.
Os três já estávam todos encharcados de água.
Ela perde todas as forças e bate de cara no chão. Kisame pega nos dois e corre para uma gruta algures.
O dia transforma-se em noite escura e estrelada sem nunca parar de chuver. Kisame, que estáva sentado numa pedra á esquerda de Itachi, mal se podia aguentar em pé e caiu no sono profundo.
(...)
De manhã cedo, Itachi e Kisame acordam muito antes que Soran e desaparecem.
Algumas horas depois, Soran acorda e vê que tinha uma poça de sangue onde estava deitada. Apalpa a cara e sente uma ferida que começa-lhe a arder.
-Deve ter sido quando desmaiei. –Pensou.
Ela olha em seu redor e não vê Kisame nem Itachi.
-Tão previsiveis!
Ela sai da gruta e corre para a árvore mais alta que avistou. Dá uma vista de olhos em seu redor, mas nem sequer encontra rasto daqueles dois.
-Ok, estou definitivamente sozinha. –Suspirou. –É pena ele ser antissocial, talvez não tivesse acontecido quase nada do que aconteceu... Agora até estou a ter pena do Sasuke. Lembro-me de o ver a gritar, se fosse a ele preferia ter morrido.
Soran senta-se no ramo onde estava e balança as pernas.
Sente a presença de álguem e prepara-se agarrando em dois shourikens.
Era o Lee, ele salta de um ramo abaixo de onde ele estáva e dá-lhe um murro na carra.
Enquanto ela caia ele enchia-a com socos e pontapés.
Ela dá uma volta no ar, lança uma corrente de chakra para um ramo e fica suspensa no ar.
Lee cai no chão em pé e corre a toda a velocidade para cima da árvore e tenta dar-lhe outro soco, mas ela atinge-o com um shouriken de fogo e dá-lhe um murro na parte de cima da cabeça fazendo com que ele desmaie e vá direitinho para o chão.
Soran salta abaixo da árvore e vai ter com Lee.
-Mas o que é que ele queria? –Interrogou-se.
Ela agarra-o pelo pescoço e atira-o contra a árvore. Dirige-se novamente a ele e atira-o para o ar fazendo com que ele vá parar bem longe e todo aleijado.
-Lee! –Grita Tenten saindo de um arbustro. –Já vais ver!
-Pára, Tenten! –Diz Neji. –Eu trato dela, vai procurar o Lee!
Soran dá um passo em frente, enquanto Neji se aproxima-va dela.
-Não me digas que já tenho pessoas a procurarem-me para me matar! –Diz Soran.
-Isso mesmo.
Neji ataca-a com o estilo Byakugan, ela defende-se saltando para um ramo baixo.
-Lá-se vai a minha promessa! –Diz encolhendo os braços. –Estou mortinha por usar o meu kekkei genkai!
-Que kekkei genkai tens? –Diz Neji rindo-se sarcásticamente.
-Quem se ri por último ri melhor!
Os olhos dela começam a mudar aleatóriamente de cor sem parar. O céu começa a escurecer e as nuvens ficam negras e começa a trovoar.
-O meu kekkei genkai chama-se shanjim, dá para controlar tudo, fazer ilusões, e.t.c., isso agora não interessa! Prepara-te.
Começam a sair relâmpagos das nuvens que cercam fixamente Soran.
-Ah? –Diz Neji.
-Eu estou presa... Mas tu não podes figir nem te esconder de mim. Tenta mexer-te.
Ele estava a ser controlado por ela, não se conseguia mexer nem pensar.
-Que pena! –Diz com um olhar maléfico. –Tem de haver os maus para haver os bons!
Ela limpa-lhe a mente. E vira-se para Tenten.
-Espero que chegue... Tu aí! –Diz apontando-lhe. –Que te sirva de lição, o teu amiguinho vai ficar com a mente vazia durante umas 72 horas, por isso pega nele e desaparece!
Tenten pega em Neji a tremer, procura o Lee e vai-se embora.
-Foram mandar estes tótozinhos para me matar? –Pensou. –Há aqui qualquer coisa mal!
Ela aproxima-se de uma árvore e faz uma corrente de chakra amarrada a um ramo e puxa-a arrancando o ramo.
Em cima do ramo estava o Deidara e o Tobi.
-Bem me parecia. Aqueles miúdos eram inveção vossa, certo?
-Inteligente... –Diz Tobi.
-O que vocês querem?
Eles sacodem-se e alevantam-se.
-Temos uma ordem da nossa organização... -Diz Tobi
-Akatsuki?
-Sim. –Diz Deidara. –Pein quer que te alies a nós. O que achas?
-Por quê?
-Não nos perguntes isso...
-Está bem, eu aceito.
Deidara faz uma ave gigante e sobe para cima dela, juntamente com Tobi.
-Anda! –Diz Deidara.
Ela sobe e segue com eles para o esconderijo da Akatsuki.

Oitavo capitulo (último) - Itachi...


Alguns anos depois, Kisame morreu e Itachi e Soran formaram dupla na Akatsuki e capturaram vários bijuus, tal como o de sete caudas e o de dez. Tornaram-se um perigo enorme para a nação do fogo, pois uma luta enorme se aproxima-va... Sasuke contra Itachi, e além disso a equipa Kakashi tinha uma missão de matar o maior número possivél de menbros da Akatsuki.
(aqui a história já se encontra na fase Shippuden)
Naruto e Sakura, após a partida de Sasuke em busca de Orochimaru, formaram equipa com Sai.
Os três juntamente com Kakashi prepararam um plano, iam aproveitar enquanto Itachi lutava com Sasuke para tocar no ponto fraco de Soran.
Kakashi ficou a vigiar a luta de Itachi e Sasuke, enquanto Naruto, Sai e Sakura procuravam Soran. Ela era difícil de encontrar, mas sabiam que não podia estar muito longe.
Após observarem bem tudo á volta do local da luta, reparam que ela estava a lutar com uma rapariga distante dos outros dois.
Sai aproxima-se delas para tentar ouvir o que estavam a falar enquanto lutavam, e consegui ouvir e descubriu quem era aquela rapariga.
-Maldita a hora que não te matei! Como é que me escapaste!?!
-Fui inteligente em apagar-me da tua memória, assim não me matarias! Agora tens aqui a tua recompensa!
-Se nunca te tivesses aliada ao Sasuke, tu não eras nada!
-E talvez se não tivesses feito o mesmo que o Itachi, eu não estaria aqui a lutar contigo.
Soran enerva-se e dá-lhe um murro na cara bem forte que a deita ao chão e põe-a a sangrar do nariz.
A rapariga que estava no chão, ao ver a irmã com uns olhos e sorriso cruel aproximando-se dela fica com um pouco de medo e tenta rastejar para trás.
Sai faz sinal para Naruto e Sakura se aproximarem.
Os três correm em direção das duas e Sakura agarra na rapariga deitada, Sai e Naruto agarram em Soran e levam-a para longe da luta de Sasuke e Itachi.
-Párem! –Grita Soran.
-Tens que nos ouvir agora! –Grita Naruto.
Sai pega num shouriken e aponta-o ao pescoço para ela se acalmar com os movimentos bruscos.
-O que querem?
Sai olha para o chão e diz:
-O Itachi morreu na luta...
-Não é verdade, eu vi-o a lutar quando vocês pegaram em mim! –Dito isto agarra-lhe na mão que segurava o shouriken e espata-o no seu próprio pescoço.
-Ela acreditou-se mesmo... –Pensou Naruto. –O seu ponto fraco afinal é mesmo ele!
-Antes de morrer, eu quero vê-lo! –Disse baixo e correndo quase sem forças.
Ela chega junto dele e vê que estava vivo.
-O que te aconteceu? –Pergunta Itachi agrrando-a para que ela não cai-se.
-Disseram-me que tu morreste, e embora soubesse que ainda estavas vivo, espetei um shouriken no meu pescoço, porque sei que o teu sonho é morrer nas mãos do teu irmão... Eu não tenho mais nada neste mundo se não te tiver... –Ao acabar de dizer isto empurra o shouriken ainda mais para dentro do pescoço e começa a tossir sangue.
-Não faças isso! –Diz Itachi pousando-a levemente no chão.
-Itachi... Eu acabo aqui... Sempre sonhei em alguma vêz beijar-te. E só tive coragem de te contar agora...
-Eu era o rapaz do teu sonho? –Diz alevantando-lhe a cara e dá-lhe um beijo nos lábios.
Ela arregala os olhos e sorri.
-Cuidado com o Sasuke, se é o teu sonho, eu não te vou impedir... mas eu nunca quis que morresses...
Ela pega noutro shouriken e espeta-o no seu próprio coração e morre.
-Soran... –Diz chorando.
Sasuke estava a pensar num ataque para o irmão, mas ao vê-lo a chorar parece que congela, nunca o tinha visto a chorar, sempre tinha visto uns olhos de ódio.
-Sasuke, faz o que tens a fazer! Mata-me! –Diz Itachi alevantando-se
Ele continua a luta... E quem acaba por morrer é Itachi.
Naruto, Sakura, Sai e Kakashi assistiram ao fim trágico.
Sakura fica um pouco aliviada, pensava que quem ia morrer era Sasuke, pois lutar com uma pessoa que se tornou líder da ANBU aos 13 anos não era nada fácil. Mas o que ela não sabia éra que Itachi queria morrer.
O dia começa a escurecer e eles voltam para casa.
A rapariga que tinha lutado com Soran era irmã dela, tinha o mesmo ódio que Sasuke tinha por Itachi, por isso uniu-se a ele e consegui vingar-se, tal como Sasuke.

2 comentários:

  1. Yeyyyy ainda bem que postaste eu Amei essa fanfcition^^
    BYE BYE

    ResponderEliminar
  2. Se não me engano, tu foste uma dos poucos k a leram, n foi?

    ResponderEliminar

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...