Pesquisar neste blogue

2012-01-17

7º Cap. fanc. "Sakusei" – (Mega capitulo!) A extração do Bijuu de Fuu/Chegada dos inimigos!

Nota: a seguir ao excerto que coloco do capitulo anterior, tudo o que está a Itálico é um pensamento da Haruna (que é quem narra a história).
Imagens:
A água começava a “lavar” o sangue da rapariga ficando a ser água tingida de vermelho.
Levantei-me, não podia perder mais tempo a olhar para aquele “quadro”.
Afinal de contas… isto das explosões não mete tanta pica como o Deidara diz…

Comecei a correr em direção do esconderijo, ainda ficava a algum tempo de onde estava por isso tinha que me despachar.
Atravessei o húmido e nojento pântano, ás vezes escorregando e caindo de nariz ao chão, mas levantava-me logo e continuava.
O esconderijo já não fica longe, se não me enganei é naquela direção! O que é aquilo? O Deidara?!? Ele ficou á espera ali!
-Deidara!!! –Gritei.
Dei um pulo enorme até ao cimo da ave e fiquei de joelhos.
-Demorou! –Comentou.
-Não eram tão fracos quanto pareciam! Ficaste aqui escondido á espera?
-Não ia aparecer á frente do Pein sozinho e ficar á tua espera lá, é melhor chegarmos os dois juntos.
Sentei-me a descansar com a minha mão direita sobre o coração, as explosões davam-me uma certa aflição, talvez fosse por me fazer lembrar daquele dia… Á noite, em que sonhei com uma boa vingança, acabei por me descontrolar e aflita destruí metade de Konoha…
-Estás bem? –Perguntou ele ao ver-me com a mão sobre o coração.
-Sim.
-hum…
-Estou bem, não é preciso estar a desconfiar! –Respondi àquele “hum”. –Hun!
-Sim, isso mesmo… -Respondeu ainda a achar que se passava algo.
Calei-me até chegamos ao esconderijo. Tinha um rio e numa das margens tinha uma pedra a tapar a entrada, ele fez um selo que fez a pedra levitar-se fazendo tremer um pouco o chão.
Entrámos a pé e a ave ao lado dele a segurar a Jinchuuriki. De seguida a pedra voltou a tapar a entrada e apareceu uma espécie de holograma. Já me disseram o nome daquelas transmissões parecidas com hologramas, mas eu esqueci-me…
-Estão atrasados! –Disse o Pein.
-Houve umas coisas para resolver… -Disse o Deidara.
-Estou a ver, é a primeira missão dela e não correu bem como se esperava!
-Não, o problema não foi ela! A Haruna fez quase tudo e bem! –Respondeu o Deidara.
Vi que o Pein ficou surpreendido com o que ele tinha dito e fiquei contente.
Uma pessoa aproxima-se de nós os três, era o Tobi.
-Deidara-senpai! Estás bem?!? Foste envenenado?!? –Disse o Tobi meio surpreso. –Nunca te ouvi dar o crédito todo a outro! Mas que surpresa!
-Cala-te! –Resmungou o Deidara.
Quando me apercebi a verdadeira razão da admiração deles a minha cara ficou descaída.
Afinal… Eles não estavam admirados comigo… Mas sim por o Deidara ter dito uma frase inédita…
-Não podemos perder mais tempo! Vamos ao que interessa! –Disse o Pein fazendo sair do chão uma enorme estátua de um monstro com duas gigantes mãos.
Conforme o anel que cada um possuía definia o dedo em que iria ficar sobre, na estátua.
Eu fiquei no mindinho esquerdo, onde antes era o Orochimaru. Saltei para o meu sítio e depois apareceram os outros.
-Como há aqui gente nova, vou voltar a dizer o que disse da última vez. –Disse o pein. –O processo de extração demora três dias e três noites, têm de estar concentrados no selo.
Fizeram todos o selo e eu imitei.
Três dias e três noites sem parar… onde eu me fui meter! É muito ruim de aguentar assim! Chega! Eu vou conseguir, tal como todos os outros! Eu consigo!
Fechei os olhos tal como o resto, estava a ficar nervosa só de pensar que eu podia falhar.
-Haruna. –Alguém disse o meu nome e eu quase pulei de arrepio. –Não fiques nervosa, isto é mais fácil do que parece. –Disse o Deidara.
-Eu não estou nervosa! –Resmunguei.
-Nota-se... un!–Respondeu.
Suspirei e voltei a concentrar-me, desta vez mais descansada por me sentir apoiada.

Durante os três dias não se ouviu falar nada sobre alguém ir resgatar a Jinchuuriki, apesar de eu ser nova naquilo acho que seria de esperar alguém a ir salvar.

Passados os longos três dias e as longas três noites…

No fim os outros que estavam presentes por espécies de hologramas foram desaparecendo aos poucos, até que restou eu, o Deidara, o Pein e o Zetsu.
-Está uma equipa de ninjas a aproximar-se… -Disse o Zetsu.
-Vêm mesmo atrasados! –Comentei.
-De qualquer forma, Deidara, Haruna, já que só vocês estais mesmo aqui presentes, tratem deles. –Disse o Pein.
-Certo... –Disse o Deidara. –Quem são os adversários?
Zetsu fez um pouco de silêncio e depois disse:
-Parece ser a mesma equipa de Konoha que veio resgatar o Gaara.
-Un… Está a agradar-me, desta vez irei conseguir a Kyuubi.
-Kyuubi? –Perguntei surpresa.
-É a equipa do teu irmão! –Disse o Pein. –Vê se não fazes asneiras!
-É desta que vou medir forças com ele… -Murmurei.
O Deidara riu-se, foi um pouco irritante, ele disse:
-Primeiro, eu tenho contas a acertar com ele!
-Então é mesmo verdade essa tua fama de agir sozinho…! Arrogante! –Comentei aborrecida.
-Igualmente para ti!
-O quê?!? –Irritei-me.
-Quem agiu sozinho na última missão?!?
Ah… então aquela cena em que ele admitiu que eu fiz tudo foi por lhe calhar bem… Pois… Era bom demais para ser verdade!
-Tratem dos inimigos invés de discutir. –Disse o Pein momentos antes de desaparecer.
-Eu acho que também já vou. –Disse o Zetsu, e desapareceu.
No preciso momento em que eu abri a boca para continuar a atirar-lhe nomes á cara, caí de costas para o chão com o impacto forte de algo que destruiu a pedra da entrada.
-Estão a fazer tudo igual como foi da vez do Gaara. –Comentou o Deidara.
O Deidara saltou logo ao chão e sentou-se em cima da rapariga já morta, levantei-me imediatamente e sentei-me no chão de pernas à chinês ao lado dele.
Pelo meio da poeira que se fez á entrada, vi a equipa de ninjas a saltar para dentro do esconderijo.
Reparei logo que o único que me reconheceu foi o Kakashi que carregou as sobrancelhas ao olhar para mim.
-Chegámos tarde… -Suspirou um rapaz que acompanhava a equipa do meu irmão.
O rapaz caiu de joelhos ao chão e começou a chorar, dizendo:
-Eu… Eu nem tive tempo de lhe dizer… que…
-Que idiota! A fazer filmes a esta hora! Vai mas é tratar do funeral dela! –Gritei com ele.
Tentei mostrar um lado meu muito agressivo para dificultar-lhes as coisas.
Começou a chorar ainda mais e deixou-se cair de cabeça ao chão.
-Porque estás a proteger o corpo dela? –Sussurrei ao Deidara.
-É o meu isco. –Respondeu.
-Está bem… Vai sonhando…! –Voltei ao meu tom de voz normal.
-Cala-te palerma! –Gritou o Naruto para mim. –Não sabes a dor dele!!!
-Naruto… -Disse a Sakura acalmando-o, empurrando-o para trás.
Comecei a caminhar em frente, na direção do Naruto, via-se na cara dele que a raiva não lhe faltava, e ele ainda não me tinha reconhecido.
Os outros colocaram-se atentos a todos os meus passos colocando-se também em posição de ataque. O Naruto ficou quieto com olhar sério, quando fiquei a uns dois metros dele abri a minha mão direita e fiz o Rasengan.
Ele ao ver o Rasengan reconheceu-me logo ficando de olhos arregalados e paralisado.
-Haruna –Disse o meu nome surpreendido.
Ao atacar continuei sempre a olhar séria para ele e não para o rasengan, quando sinto que já devia estar a sentir um pouco do impacto reparo que o Kakashi atirou-o para o chão.
-Quê?! –Gritei ao ser agarrada no braço pelo Kakashi.
Espetei-lhe um soco na cara e espetei-lhe o rasengan.
Não era para ser no idiota do sensei do Naruto!
O Kakashi foi lançado contra a parede com toda a força e fez uma cratera á sua volta, caiu de joelhos ao chão e agarrou numa kunai em posição de ataque.
-Onee-chan! –Gritou o Naruto com um tom de surpreendido e feliz.
-Ah? –Disse eu num tom baixo admirada com a felicidade dele.
Recuei para trás com o meu braço direito esticado á frente do meu peito.
-Procurei-te por todo o lado! –Disse num tom feliz. –Anda, está na hora de voltar para casa!
Naquele momento compreendi que a felicidade dele era por ainda não acreditar no que estava a ver, nem queria acreditar que eu agora era uma inimiga dele.
-N-naruto…! –Fiquei de olhos arregalados.
Fiquei pasmada ao vê-lo em pé de cabeça para o chão a começar a chorar.
-Eu não volto para casa! –Gritei.
-Como… tu não és a minha irmã Haruna… Onde está ela?!?! Aquela que brincava comigo! Aquela que me ajudava sempre! Que eu adorava!
-Idiota… -Comentei.
-Onde está ela?!!! –Gritou enfurecido.
A Sakura e os outros estavam a ficar comovidos com o que o Naruto estava a dizer, mas a Sakura era a que mais se notava. Ela tinha os olhos a brilhar e uma mão em punho junto ao peito e o olhar dela via-se que estava triste.
-Essa já não existe mais, morreu! –Respondi calma de braços cruzados.
-Não brinques! Foi esse idiota loiro que te meteu ideias na cabeça!!! –Gritou ainda mais.
Ele ia começar a correr para atacar o Deidara mas a Sakura parou-o colocando uma mão no ombro dele para o acalmar também.
-Naruto, prometemos ao rapaz que traríamos a Fuu de volta… -Lembrou a Sakura.
O Naruto olhou para o rapaz e ficou pensativo ao ver a cara dele ainda com lágrimas.
-Acham mesmo que a vão ter de volta? –Perguntou o Deidara com um tom arrogante.
-Maldito!!! –Gritou o Naruto ao começar a correr com duas kunais, uma em cada mão, na direção do Deidara.
-Un? –Disse o Deidara. –Que idiota…
Cuspiu de uma das suas bocas das mãos um inseto de argila e atirou-o para a frente.
-Katsu! –Gritou quando o Naruto estava mesmo ao lado do inseto de argila.
Fez-se uma nuvem de fumo, o Deidara pensou que aquilo chegava bem para parar o Naruto, mas enganou-se bem. O Naruto saiu a correr da nuvem de fumo, desta vez com um rasengan na mão esquerda.
-Rasengan! –Gritou ao tentar espetá-lo no Deidara.
O Deidara continuava sentado, arregalou imenso os olhos ao ver que tinha falhado ao tentar pará-lo.
Corri com bastante velocidade até eles e agarrei no braço esquerdo do Naruto que era o que tinha o rasengan, e espetei-o no chão.
Tentei continuar sempre a agarrar no braço dele mas a força do rasengan atirou-me contra a parede que até estava um pouco longe.
Quando abri os olhos vi o Naruto de joelhos no chão com uma enorme cratera á sua volta, olhei para o meu lado esquerdo e vi o Deidara sentado no chão e encostado á parede e estava a agarrar a rapariga morta pelos cabelos verdes.
-Ele é idiota, mas fraco não é…! –Avisei o Deidara. –Se fores tu a lutar contra ele, prepara-te que ele irá dar tudo o que tem, até ao zero mesmo, pela raiva que te tem neste momento!

3 comentários:

  1. Amei! A primeira coisa k faço quando chego a net é ver o teu blog! Viciaste-me mesmo!

    ResponderEliminar
  2. Heheheheh fico feliz que o meu blog tenha ajudado na escola >.< espero que tenhas uma boa nota no teu trabalho ^^

    ResponderEliminar

Ao comentar estás a ajudar este blog, é um pequeno gesto que dá mais vida ao blog e com certeza me deixará feliz! :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...